Pode não ser mais uma página na história, mas é mais uma linha. Afinal, o pré-aviso de greve para dia 12 de agosto ainda não foi apresentado, mas já está deliberado. A garantia é de Pedro Pardal Henriques, do Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), que explicou, em entrevista à Rádio Observador, que na próxima segunda-feira, dia 15, haverá uma “nova reunião onde os dois sindicatos independentes vão questionar a ANTRAM sobre o que vai fazer”.

Em causa está, afirma Pardal Henriques, a falta de cumprimento da ANTRAM daquilo que foi acordado e decretou o cancelamento da greve que esteve convocada para abril. O responsável do sindicato afirma ainda que é “muito grave” chamar “ameaça ou chantagem a um direito constitucional dos trabalhadores”.

Pardal Henriques diz-se ainda “perplexo” com as declarações do ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, que apelou esta terça-feira ao “bom senso” e ao “regresso às negociações” entre os motoristas e a ANTRAM. O ministro afirmou ainda que o Governo está preparado reagir na eventualidade de os motoristas de matérias perigosas entrarem em greve. “Espero que a reação do senhor ministro à greve seja ajudar a resolver os problemas dos motoristas que também são portugueses”, respondeu Pardal Henriques.

A ANTRAM já tinha reagido nesta terça-feira com perplexidade ao novo pré-aviso de greve do SMMP e do Sindicato Independente de Motoristas de Mercadorias (SIMM). A associação que representa as empresas de transportes de matérias perigosas diz que o representante do Sindicato dos Motoristas de Matérias perigosas foi “desleal” com os seus associados. 

A associação que representa o setor estranhou o adiamento de uma reunião onde iriam ser discutidas as contrapropostas da ANTRAM e mostra-se surpreendida por depois de o congresso ter sido anunciado um novo pré-aviso de greve.