Ao segundo dia, sexta-feira, o NOS Alive tinha tudo para inspirar o guarda-roupa dos festivaleiros, até um ícone da cultura pop a pisar um palco português. Falamos de Grace Jones, claro, mas, do que se viu, o fenómeno que, à partida, devia ser intergeracional, passou ao lado de praticamente toda a gente. Uma pena e, sobretudo, um desperdício de oportunidade (é que nem uma t-shirt!). Felizmente, o público do festival compensou a paisagem com outras coisas, desde a clara predileção por estampados de frutas, em especial citrinos, às franjas e lantejoulas que tão bem reagem à luz da golden hour, mas também aos holofotes do palco.

Miguel, o cavalheiro de chapéu e chave ao peito que encontrámos junto ao Palco Sagres © FRANCISCO ROMÃO PEREIRA/OBSERVADOR

Voltámos a encontrar Rachel e Sophie, as irlandesas que apanhámos no primeiro dia, a jogar matraquilhos junto ao coreto. Desta vez, só fotografámos a filha, que tinha um casaco de franjas cor-de-rosa e roxo. A mãe fez questão de marcar encontro para sábado, garantido que o outfit de Sophie não ia desiludir. Ficamos à espera. Mas não foi a única dupla de mãe e filha a chamar-nos a atenção. Maria e Adriana deram nas vistas, numa espécie de duelo entre brilho e transparência.

Espanha, Reino Unido, Brasil e África do Sul — o NOS Alive conhece poucas fronteiras geográficas. Catarina veio da Galiza e tem estado a descer a costa portuguesa. Justina, a rapariga das meias em chamas, e as amigas trocaram o verão londrino por umas férias em Portugal. Alexia e Britt voaram desde o extremo sul do continente africano. Até ver, está a valer cada milha.

Maria e Adriana, a mãe e a filha vêm sempre juntas ao NOS Alive © FRANCISCO ROMÃO PEREIRA/OBSERVADOR

De certa maneira, andar pelo recinto do NOS Alive é uma espécie de jogo em que os fãs de Tash Sultana são topados ao longe — qualquer coisa como “mostra-me o que tens vestido e dir-te-ei o que vens ouvir”. À exceção do extenso rol de micro, nano, mini influenciadoras que, quando questionado sobre o concerto mais aguardado, sorri, aproxima o queixo do ombro e responde algo inconclusivo. Felizmente, abraçamos a diversidade e gostamos de contar com todos. Afinal, um festival é muito isso.

Na fotogaleria, veja os looks de street style do segundo dia do NOS Alive.