A piloto portuguesa Carina Lima, que se divide entre Lisboa e o Mónaco, começou a correr em 2012, no Campeonato de Portugal de GT, aos comandos de um Ferrari 430. Mas só “saltou” para as páginas da imprensa em 2016, quando adquiriu um Koenigsegg One:1, superdesportivo de que foram apenas produzidas sete unidades, daí que o preço ronde os 5,5 milhões de euros, tendo a portuguesa investido no chassi número 106 – tão só o primeiro a ser montado pela pequeno fabricante sueco. Sabe-se agora, através da própria Koenigsegg, que Carina Lima acrescentou um Regera à sua colecção de automóveis de luxo.

Com um preço base estimado em 2 milhões de dólares, cerca de 1,8 milhões de euros antes de impostos, o Regera – que em sueco significa “reinar” – é um híbrido que combina um potente motor de 5,0 litros V8 biturbo com três motores eléctricos e a tecnologia Koenigsegg Direct Drive, dispensando a habitual caixa de velocidades, de modo a tornar o desportivo mais leve e eficiente. O resultado é uma potência conjunta que supera os 1500 cv e um binário máximo que ascende 2000 Nm, o que lhe permite prestações avassaladoras. Tanto que nem valerá a pena mencionar a rapidez com que vai de 0 a 100 km/h. Mais elucidativo é o facto de exigir menos de 20 segundos para superar a barreira dos 400 km/h e apenas 3,2 segundos na reprise 150-250 km/h.

47 fotos

O Regera Blue Carbon com o chassi número 157 é o quarto automóvel que a portuguesa compra a Christian von Koenigsegg, sabendo-se que a piloto também conduz habitualmente um Agera RS. Aliás, em Agosto de 2018, Carina terá sido detida nas ruas do Mónaco, alegadamente por perturbar a tranquilidade local com uma condução ousada e acelerações a condizer.

Quando a Bugatti esteve em Portugal para apresentar o Chiron, em 2017, a piloto portuguesa de 40 anos de idade foi uma das contempladas com a possibilidade de assumir os comandos do superdesportivo francês, como pode ver abaixo. E, a avaliar pela fotogaleria acima, terá decidido avançar para a compra.