Rádio Observador

Samsung

Sem entrada para auriculares e um Note 10+ 5G. Como são os novos topos de gama da Samsung

As novidades da Samsung incluem um Note 10+ específico para a rede 5G, um "adeus" à entrada para os auriculares, uma nova caneta S Pen e outro "adeus" ao botão da assistente virtual Bixby.

As fugas de informação têm apresentado o novo Note 10 como tendo um ecrã quase sem barreiras. Imagem retirada do Twitter

Getty Images

Esta quarta-feira, os holofotes da indústria tecnológica estiveram virados para o palco do Barclays Center, em Brooklyn, Nova Iorque, onde a Samsung apresentou os topos de gama com que quer desafiar os iPhone Xs e Xs Max (da Apple) e o P30 Pro da Huawei. Depois das queixas que rodearam o telemóvel dobrável de perto de 2 mil euros que a marca sul coreana queria lançar em abril (e que acabou por adiar para depois de setembro), o que é que a marca apresentou esta quarta-feira? Um Galaxy Note 10, um Note 10+ e um Note 10+ com acesso à rede 5G. Já disponíveis em pré-venda, começam a ser vendidos em loja a partir de 23 de agosto.

Antes de a marca  ter apresentado oficialmente os telemóveis, surgiram várias fugas de informação relacionadas com os topos de gama, inclusive no Droid Life, um site de partilha de informação sobre tecnologia, com especial enfoque em telemóveis com sistema operativo Android — no qual se inserem todos os modelos da Samsung –, que teve acesso a documentos da equipa de Marketing da empresa. Quais são então as novidades? Estas:

O Note 10 terá apenas uma versão com 8GB de RAM e 256 GB de memória. Custará  979,99  euros em Portugal. e o Note 10+ (maior) custa no mínimo 1.129,99 euros. Esta versão terá 12 GB de memória RAM e 256 GB de armazenamento. Estão ambos disponíveis para pré-venda a partir desta quarta-feira. Os rumores que circularam antes da apresentação oficial confirmam-se: o Galaxy Note 10 terá um ecrã com 6,3 polegadas e o Note 10+ terá outro com 6,8 (o do Huawei P30 Pro tem 6,47 polegadas; do o iPhone Xs tem 5,8 e o Xs Max, tem 6,5 polegadas).

O ecrã é infinito, quase sem molduras, enquanto o recorte da câmara frontal é pequeno e centrado. Incorpora o premiado ecrã Dynamic AMOLED.

A estes dois smartphones junta-se um outro: o Note 10+ com acesso à infraestrutura de rede 5G. É idêntico ao modelo comum, mas tem um modem que permite maior velocidade na transmissão de dados. Ambos os smartphones vêm equipados com um chip  Qualcomm Snapdragon 855. Este smartphone vai custar 1.299 dólares — o mesmo preço pelo qual a Samsung já vende o Samsung Galaxy 5G que o Observador testou na Coreia do Sul. Para regiões fora dos Estados Unidos (como a Austrália e o Reino Unido), a marca vai produzir um Note 10 5G específico.

Nestes novos telemóveis, a Samsung abandona de vez a entrada para auriculares. À semelhança do que já faziam as marcas concorrentes, os novos topos de gama vêm equipados com headphones sem fios na caixa, mas quem quiser adaptar os seus auriculares atuais terá de comprar um adaptador à parte, tal como acontece na concorrente Apple. A marca diz que retirou esta entrada para que a bateria possa ocupar mais espaço. Era a única empresa que ainda mantinha esta entrada nos seus topo de gama.

Os novos topo de gama estão disponíveis em Portugal em quatro cores: Prateado Aura, Preto Aura, Rosa Aura e Branco Aura.

O botão Bixby (que acedia diretamente à assistente virtual da marca) desaparece nestes modelos. Agora, todas as funcionalidades estão centradas num só botão do lado esquerdo, abaixo dos botões do volume. Para bloquear ou desbloquear o smartphone basta clicar uma vez. Clicando duas vezes, inicia-se a câmara ou outra aplicação. Se quiser acionar a assistente digital Bixby, tem de pressionar e segurar esse mesmo botão.

As novas canetas S Pen têm um novo conjunto de truques que permitem controlar o telefone por gestos. São uma espécie de controlo remoto, como os que usamos na televisão. Enquanto se segura no botão e desliza com a caneta em várias direções pode alternar as câmaras, alternar slides em apresentações ou mudar de música no Spotify. Para aumentar ou dominuir o zoom da câmara, também pode fazer um movimento circular com a caneta. Recorrem à tecnologia Bluetooth de Baixa Energia (BLE – Bluetooth Low-Energy).

Nos Galaxy Note10, os utilizadores podem tirar apontamentos à mão, onvertendo-os em texto digital através da aplicação Samsung Notes e exportá-lo em vários formatos, incluindo Microsoft Word. Os utilizadores também podem personalizar as notas aumentando ou estreitando o texto. Estes documentos podem ser partilhados em várias plataformas. Para usar, basta tocar no ecrã e pressionar o botão.

As câmaras do Note 10 e do Note 10+ não diferem muito das que já estão incorporadas nos Galaxy S10+ e nos s10 5G, que a marca lançou no início deste ano. Têm três lentes traseiras e uma frontal. Tal como já acontece nos Galaxy S10, o utilizador pode alternar entre as lentes. O modelo maior dos topos de gama vem também com uma quarta câmera 3D para detetar profundidade e que pode ser usada para retratos que desfoquem o fundo. Para as pessoas que tiram muitas selfies em ambientes de pouca luz, existe o Modo Noite, disponível na câmara frontal.

Graças a uma nova ferramenta chamada AR Doodle, vai ser possível desenhar por cima de fotografias e vídeos. Estes ficheiros podem ser guardados em JPEG ou em formato vídeo e partilhados noutras plataformas. O novo smartphone integra funcionalidades de RA (Realidade Aumentada) e 3D na câmara. Juntamente com a câmara ultra grande angular, estas opções abrem um novo conjunto de oportunidades para os criadores. Com o 3D Scanner, a câmara de profundidade 3D do Galaxy Note10+ oferece aos utilizadores a possibilidade de fazer um scan de qualquer objeto e transformá-lo instantaneamente numa renderização 3D.

Os Galaxy Note10 permitem aos utilizadores gravar vídeos sem terem de utilizar dispositivos adicionais e complementares. O modo Video Live Focus adiciona profundidade de campo, para que seja possível desfocar o fundo dos vídeos. O Microfone Zoom In amplifica o áudio e elimina os ruídos de fundo, para ajudar a focar o som daquilo que se quer ouvir. O modo Super Steady serve para estabilizar a gravação.

Os novos topos de gama também vêm com um editor de vídeo já pré-instalado, que pode ser utilizado com a ajuda da caneta S Pen. Esta aplicação tem por base uma versão do Adobe Premier Rush otimizada e permite exportar logo os vídeos para outras plataformas, como redes sociais.

Os Galaxy Note10 expandem as capacidades do Samsung DeX, facilitando o trabalho entre o telemóvel e o PC ou Mac. Com uma ligação USB compatível, os utilizadores podem arrastar os ficheiros entre dispositivos e utilizar as aplicações móveis preferidas com um rato e teclado. Os novos smartphones integram o Link to Windows diretamente no Quick Panel. Num clique, os utilizadores podem conectar-se ao seu PC com Windows 10, onde podem visualizar notificações, enviar e receber mensagens e rever fotos recentes sem olhar para o smartphone.

Com o carregamento Super-rápido, 30 minutos de carregamento no Galaxy Note10+ dura todo o dia com uma capacidade de carregamento com fios de 45W. E com a opção Wireless PowerShare, os utilizadores podem recarregar sem fios o Galaxy Watch, Galaxy Buds ou qualquer dispositivo com Qi através do Samsung Galaxy Note10.

O mercado dos telemóveis é dominado pela Samsung, Huawei e Apple (por esta ordem) e a rivalidade tem feito dos topos de gama um repositório de inovação tecnológica. Antes dos eventos de apresentação oficiais a especulação é muita. Entre os rumores que se confirmam e os que caem por terra, há sempre uma certeza: quando uma marca inova, as outras não ficam atrás, independentemente do tempo que demoram na atualização.

O último topo de gama da Samsung foi lançado no ano passado, mas a marca ainda está no rescaldo do falhanço que foi o teste dos jornalistas ao Galaxy Fold, smartphone dobrável que custará cerca de 2 mil euros.

DJ Koh, presidente executivo da empresa, revelou em julho, numa entrevista com jornalistas, na qual o Observador participou, que estavam a ser testados “mais de dois mil equipamentos” para preparar uma nova data de lançamento. “Assumo que me escapou alguma coisa”, disse ainda quanto ao lançamento falhado. Agora, a Samsung diz que já “está a realizar os testes finais de produto” para poder lançar o equipamento. Até lá, há outras novidades. Serão suficientes?

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: apimentel@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)