A Procuradoria-Geral da República (PGR) confirmou esta terça-feira que foi instaurado um inquérito criminal contra os pais que alegadamente deixaram sozinha uma criança de 3 anos durante 14 horas numa habitação na freguesia da Estrela, em Lisboa.

Em resposta à agência Lusa, fonte oficial da PGR indicou que o inquérito instaurado “é dirigido pelo Ministério Público do Departamentos de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa”, acrescentando que os factos do processo se encontram “em investigação”.

“Foi também instaurado pelo Ministério Público da Jurisdição de Família e Menores um processo judicial de promoção e proteção, que se encontra em curso”, avançou a PGR, referindo que a criança de 3 anos está sujeita à “medida de acolhimento residencial a título cautelar”.

O casal de nacionalidade ucraniana, que foi detido no sábado depois de deixar a filha de 3 anos sozinha durante 14 horas numa casa na freguesia de Estrela, em Lisboa, ficou também esta terça-feira proibido pelo Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa de contactar com a criança. A informação foi confirmada pelo Jornal de Notícias junto da PSP.

A proibição faz parte das medidas de coação aplicadas ao casal, de 27 e 28 anos. Cerca das 3h00 da madrugada, um choro compulsivo alertou os vizinhos que rapidamente se aperceberam que estava uma criança sozinha numa varanda. A família não é residente em Portugal e “estaria cá só por alguns dias” — embora não se saiba, para já, se em férias, se em trabalho. O local onde a menina foi encontrada seria, portanto, um “alojamento temporário”.

Foram os próprios pais a admitir que a criança estaria sozinha há mais de 14 horas, depois de chegarem ao local perto das 4h00 da madrugada “visivelmente embriagados”. Ainda assim, “não deram uma explicação” para o sucedido, conta fonte policial.