Rádio Observador

Passadeira Vermelha

Os vestidos, e Brad Pitt, sobretudo Brad Pitt, na segunda noite do Festival de Veneza

260

O desfile na passadeira vermelha seguiu a sua marcha na segunda noite do Festival de Cinema de Veneza. As estrelas de "Ad Astra" e "Marriage Story" estiveram em destaque. Veja os looks.

Em “Ad Astra”, a saga espacial de James Gray com estreia marcada para Portugal a 19 de setembro é Roy McBride numa missão arriscada, ou “space opera” que acaba de arrancar cinco estrelas ao britânico The Guardian que o inclui no caminho das estatuetas douradas. Na passadeira vermelha do Festival de Cinema de Veneza, basta-lhe ser Brad Pitt para brilhar e (continuar) a ser motivo de conversa. Porque, enfim, rezam as mais variadas publicações que passou a tarde a trocar olhares cúmplices com a colega de ecrã Liv Tyler, que apesar do divórcio de Angelina Jolie mantém tatuada a letra A no pulso direito em sua homenagem (que terá eventuais novas tatuagens), ou simplesmente porque aos 55 anos continua a esbanjar charme num infalível smoking — se dúvidas houvesse, a abundância de fotos de Brad nas agências ofusca por completo a mais vistosa cauda de vestido ou decote pronunciado (e se o houve).

Em plano destaque graças à sua participação no mais recente título de Quentin Tarantino, “Era uma vez… em Hollywood”, o ator marca presença na Sereníssima para a apresentação do filme que conta ainda no elenco, para além de Tyler, com Tommy Lee Jones, Ruth Negga e Donald Sutherland. Enquanto Tyler optou por um look preto Givenchy, Negga apresentou-se num Louis Vuitton.

O elenco de “Ad Astra”, de James Gray © Stefania D’Alessandro/WireImage

A noite desta 76ª edição do certame teve ainda como ponto alto “Marriage Story”, de Noah Baumbach, que se estreia em dezembro nos EUA (ainda sem data de lançamento previsto para Portugal) com mais um elenco recheado de pesos pesados, como Scarlett Johansson (em Celine), Adam Driver, e Laura Dern (em Gucci), que também exibiram os seus looks na aguardada red carpet.

Scarlett Johansson, Laura Dern, Noah Baumbach e Adam Driver, a equipa de “Marriage Story” © Franco Origlia/Getty Images

A jornada no mais antigo festival de cinema do mundo foi ainda pautada pela atribuição do Leão de Ouro ao realizador espanhol Pedro Almodóvar. O Prémio Carreira surge 36 anos depois de ter estreado a sua carreira internacional, precisamente neste cenário, em 1983, com o filme “Maus Hábitos”.

Pedro Almodóvar com a designer italiana Miuccia Prada na Scuola Grande della Misericordia onde o cineasta viu a sua carreira distinguida © Maria Moratti/Getty Images

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Relações

Cuidem dos seus relacionamentos /premium

Ruth Manus

Ao passar ao lado do outro, faça um carinho qualquer. Pegue na mão, toque no ombro, dê um beijo na testa. Mostre que a presença do outro faz diferença. Um cafuné de vez em quando.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)