Depois de chegar à liderança do Brasileirão e confirmar a passagem às meias-finais da Taça Libertadores a meio da semana, Jorge Jesus recebia este domingo o Palmeiras, campeão brasileiro na temporada passada que é orientado por Luiz Felipe Scolari. A vitória era necessária, não só para garantir que o Flamengo continuava na liderança da classificação, colado ao Santos, como também para cavar uma distância de seis pontos para um rival direto.

O treinador português voltava a contar com Willian Arão, um dos jogadores que tem estado em maior destaque desde o início da temporada e que falhou a segunda mão dos quartos da Libertadores por castigo, e lançava a frente de ataque mais forte que tem, com Everton Ribeiro, De Arrascaeta, Bruno Henrique e Gabriel Barbosa enquanto elemento mais adiantado. Do outro lado, Scolari tinha Luiz Adriano no setor ofensivo e Matheus Fernandes e o homónimo Bruno Henrique nas costas, com o veterano Felipe Melo na zona de transição da defesa para o ataque.

O treinador português está na liderança do Brasileirão e nas meias-finais da Libertadores

Gabriel Barbosa inaugurou o marcador logo aos 11 minutos, assistido por De Arrascaeta, e o mesmo De Arrascaeta aumentou a vantagem ainda antes do intervalo a passe de Bruno Henrique (38′). Scolari mexeu na equipa logo ao intervalo, ao lançar Raphael Veiga no lugar de Matheus Fernandes, mas o Flamengo chegou mesmo ao terceiro golo quando faltava meia-hora para o apito final, por intermédio de Gabigol, que converteu uma grande penalidade e bisou na partida (60′). No final do encontro, com o Flamengo com mais seis pontos do que o Palmeiras, Jorge Jesus garantiu que a equipa do Rio de Janeiro tinha cumprido aquele que foi “talvez o melhor jogo” desde que chegou ao Brasil.

“Foi talvez o melhor jogo desde que cheguei ao Flamengo. A equipa está cada vez mais consciente do que tem de fazer. Hoje jogou com um rival muito forte que não conseguiu segurar-nos, fomos fortes ofensivamente, seguros defensivamente, não me lembro de nenhuma oportunidade de golo do Palmeiras. Isso deve-se ao bom trabalho dos jogadores, àquilo em que eles acreditam e confiam. Nós ganhámos mais um jogo, nada mais”, disse o treinador português, que voltou a sublinhar a ideia de que na Europa os adeptos de futebol “não têm noção” do que é o Brasileirão. “No dia em que tiverem noção, vão ver mais jogos”, garantiu Jesus.

De Arrascaeta marcou um golo e ainda assistiu Gabigol para outro

O treinador português, que é cada vez mais querido pelos adeptos do Flamengo — não só pelos bons resultados mas também pela atitude sempre intensa que mostra na linha técnica, mesmo que a equipa esteja a vencer –, ressalvou que sente “o barulho e a emoção” do Maracanã mas que ainda não consegue perceber os cânticos que lhe são dedicados. “Ainda não consigo, não percebo muito o significado das palavras. Sinto o barulho, a emoção, mas não o significado. Hoje no fim senti o ‘mister, mister‘. Sinto que o trabalho está agradável para quem venho trabalhando. É para eles que trabalho todo o dia, estou constantemente a pensar, não digo 24 horas por dia, mas 18 horas por dia. É assim que eu era e vou continuar a ser”, acrescentou Jorge Jesus. Já Scolari deu os parabéns ao Flamengo e garantiu que o Palmeiras teve este domingo “um aprendizado” de futebol.

O treinador português foi ainda comparado por Filipe Luís, lateral que deixou o Atl. Madrid este verão para se juntar ao Flamengo, a Diego Simeone, argentino que o orientou durante várias temporadas em Madrid. “Se você não corre, não joga. Não tem nada mais importante do que o Flamengo, nenhum jogador é mais importante do que o outro”, disse o internacional brasileiro.