A tempestade estava prevista, mas a força com que atingiu o país foi, ainda assim, surpreendente. Três dias de chuvas intensas em Espanha deixaram o sudeste do país debaixo de água, seis pessoas morreram, cerca de 3.500 pessoas tiveram de deixar as suas casas e centenas de milhares de crianças ficaram sem conseguir ir à escola na última sexta-feira.

Este domingo, as inundações continuam a obrigar a evacuações, incluindo dois parques de campismo na província de Alicante e uma freguesia do município de Almoradi. Há várias estradas e linhas ferroviárias intransitáveis. Ainda no domingo, um holandês de 66 anos foi arrastado pela corrente de água em Alicante e está desaparecido desde então, noticia a agência EFE. A Guardia Civil espanhola está a fazer buscas para encontrar o homem.

“O perigo ainda não passou”, alertou a ministra da Defesa espanhola, Margarita Robles, lembrando que a subida do nível do rio Segura pode ainda provocar mais inundações. O rio percorre 325 quilómetros e desagua no mar Mediterrâneo, na província de Alicante.

A Agência estatal de meteorologia (AEMET) previu que as chuvas se estendessem no fim de semana à maioria do país, apesar de mais fracas. Também estava previsto que a tempestade chegasse a Portugal, mas com muito menos intensidade.

Um modelo da tempestade, divulgado no dia 12 de setembro, mostrava como é que iria evoluir a precipitação nos três dias seguintes.

Na fotogaleria, pode ver algumas das consequências da tempestade que atingiu Espanha nos últimos três dias.

Artigo atualizado às 8h40 desta segunda-feira com a informação de que há um homem de 66 anos desaparecido desde domingo