Até agora, nem António Costa, do lado do PS, nem André Silva, do PAN, excluíram a possibilidade de se entenderem após as legislativas. A hipótese de uma aliança PS-PAN tem marcado a pré-campanha e está mesmo a preocupar a Fencaça — Federação Portuguesa de Caça que quer evitar aquilo que considera ser uma ameaça.

Como? Formando um partido. “Se se mantiverem as previsões que as sondagens apontam, o Partido Socialista ganhará as próximas eleições com maioria absoluta”, começa por referir a federação num comunicado divulgado esta segunda-feira. “Irá o Partido Socialista entender-se com o PAN?”, interroga depois o documento, assinado por Jacinto Amaro, presidente da Fencaça.

À semelhança dos líderes dos dois partidos, os caçadores também não excluem a possibilidade de que a aliança política venha, de facto, a acontecer. A forma de combatê-la, acrescenta a nota, é ter representação no parlamento com um partido: “Se isso acontecer só nos resta prepararmos-nos para criar uma plataforma ou um partido que junte todos os agentes ligados ao mundo rural e às tradições, para nos confrontarmos no Parlamento com as mesmas armas.”

A Fencaça diz ter perdido o apoio dos “partidos tradicionais” e, por isso, precisa de fazer a “própria defesa”: “Se nos juntarmos seremos seguramente muito mais fortes que o PAN”, afirmam os caçadores.

Segundo o site oficial, a Fencança foi constituída em 1992 e representa mais de 100.000 caçadores.