Depois de ter ficado em terceiro lugar nos prémios The Best, da FIFA, Cristiano Ronaldo deixou apenas uma citação no Instagram, citando Lair Ribeiro, um cardiologista e autor de livros de auto-ajuda brasileiro: “Paciência e persistência são duas características que diferenciam o profissional do amador. Tudo o que hoje é grande um dia começou pequeno. Você não pode fazer tudo, mas faça tudo o que puder para transformar seus sonhos em realidade. E procure manter em mente que depois da noite sempre vem o amanhecer”.

O jogador da Juventus, que está lesionado (fadiga no adutor), não sendo opção para o jogo desta terça-feira contra o Brescia, acompanha a citação com uma foto em que está sentado no sofá a ler um livro, em ambiente familiar.

A publicação surge depois de Ronaldo ter faltado à gala de entrega de prémios para o melhor jogador do mundo, em que Messi (46 pontos) e Van Dijk (38 pontos) ultrapassaram Ronaldo (36 pontos) nas preferências de treinadores, capitães de seleções nacionais e jornalistas selecionados.

A imprensa italiana nota que a ausência de Ronaldo não deixou a FIFA indiferente. Durante a gala, “a irritação da FIFA manifestou-se quando, no Scala, foi anunciado o onze ideal, do qual o Ronaldo fazia parte, sem que o seu nome tenha sido anunciado”, sublinha o Gazzetta dello Sport. Os restantes dez jogadores subiram ao palco.

Messi escolheu Ronaldo em segundo lugar. Ronaldo não votou em Messi

A FIFA divulga a lista total de quem votou em quem — pode verificar tudo aqui —, na qual se pode constatar que Messi votou em Ronaldo, mas Ronaldo não votou em Messi. O capitão da seleção portuguesa escolheu Matthijs de Ligt (o central que Ronaldo chamou para a Juventus), depois De Jong e, em terceiro lugar, Mbappe, do Paris Saint-Germain.

O argentino escolheu primeiro Sadio Mane, avançado do Liverpool, depois Ronaldo e, por fim, o médio Frenkie de Jong (transferido este ano do Ajax para o Barcelona). E Van Dijk escolheu Messi, e depois Salah e Mane (colegas de equipa no Liverpool).

Da lista divulgada pela FIFA é possível ainda perceber que Ronaldo foi a primeira escolha dos capitães nacionais Chiellini (Juventus/Itália), Modric (Real Madrid/Croácia), Aubameyang (Arsenal/Gabão) e Xhaka (Arsenal/Suíça). E ainda dos selecionadores Fernando Santos e Mancini.

Messi foi o favorito de Van Dijk (Liverpool/Holanda), Kane (Tottenham/Inglaterra), Mahrez (Manchester City/Argélia), Dani Alves (São Paulo/Brasil) e Hugo Lloris (Tottenham/França), bem como dos selecionadores Southgate (Inglaterra) e Robert Moreno (Espanha).

Manuel Nuer (Bayern/Alemanha) e Lewandowski (Bayern/Polónia) preferiram Van Dijk. Hazard (Real Madrid/Bélgica) escolheu Mane. O selecionador francês, Didier Deschamps, escolheu Mbappé e o selecionador alemão preferiu Eden Hazard.