O panorama geral era o mesmo das últimas semanas, será o mesmo nas próximas semanas e só irá ser alterado pelo cansaço: quando no Parque dos Príncipes, antes da receção do PSG ao Stade Reims, o nome de Neymar foi anunciado pelo speaker na hora de elencar o onze inicial, os adeptos do clube francês uniram-se para uma enorme assobiadela ao brasileiro. O avançado marcou o golo decisivo, já nos descontos, que valeu a vitória contra o Metz e voltou a marcar o golo, a três minutos dos 90′, que valeu a vitória contra o Lyon. Ainda assim, os adeptos não perdoam a vontade de Neymar de sair durante todo o verão.

O Stade Reims conseguiu ser a primeira equipa da Liga a não sofrer golos com o PSG na era Tuchel

Depois de valer dois resultados positivos nas últimas duas jornadas, o jogador brasileiro não conseguiu esta quarta-feira evitar a derrota do PSG em casa, perante o Stade Reims, com um golo de Kamara e outro de Dia. Pela primeira vez desde que Thomas Tuchel assumiu o comando da equipa, um conjunto adversário conseguiu sair de um jogo contra o PSG sem golos sofridos e impôs a primeira derrota caseira aos campeões franceses (segunda a nível global, já que perderam com o Rennes na primeira jornada da Liga). Com este resultado, os parisienses permitiram ainda que o Angers os alcançasse na liderança da classificação, já que a equipa de Stéphane Moulin bateu o Toulouse e chegou também aos 15 pontos.

Apesar da derrota, os adeptos do PSG foram ainda brindados com um momento especial. Pedro Pauleta, antigo internacional português que esteve cinco anos em Paris, voltou ao Parque dos Príncipes, realizou uma volta olímpica com a camisola do clube vestida e foi aplaudido de pé pelos milhares que esta quarta-feira se deslocaram ao estádio para assistir à partida. Pauleta marcou 109 golos ao longo de 211 jogos pelo PSG e é um dos melhores marcadores da história do clube francês. E esta semana, ao contrário de Neymar, voltou a ser aplaudido.