Ross Hunt é um irlandês que conduz um Tesla Model S e possui um cão, um daqueles pequenos caniches. Segundo o jornal local Independent, Hunt estacionou o seu carro no centro de Dublin – a 27 de Junho, a meio da manhã – e ausentou-se uns minutos, deixando o canídeo confortavelmente instalado a bordo, com o carro trancado e os vidros fechados.

Tudo correu bem até Louise Martin passar no local e ver o cão no interior da berlina eléctrica. Nem o facto de o animal não revelar quaisquer sinais de stress ou excesso de calor tranquilizou esta amante dos nossos amigos de quatro patas, que resolveu ligar para a Sociedade de Prevenção contra a Crueldade para com os Animais de Dublin e apresentar queixa. Estes chamaram a polícia, que chegou ao local cerca de uma hora depois. Ligeiramente antes do condutor.

Se o cão continuava de perfeita saúde, provavelmente divertido com toda a atenção de que era alvo, ainda que através do vidro, já Ross Hunt revelou-se bastante preocupado com a atenção de que o seu carro e caniche estavam a ser alvo, tendo explicado que o Dog Mode mantinha o cão dentro do veículo ventilado e à temperatura ideal, como estava bem patente na mensagem no ecrã da viatura. Terá mesmo sugerido que os curiosos e a polícia arranjassem algo mais produtivo para fazer. A que o agente da autoridade acedeu, levando-o preso.

Perante o juiz e com a ajuda de um técnico da Tesla, que explicou às autoridades o funcionamento do sistema Dog Mode, garantindo que o animal nunca esteve em perigo, Ross Hunt saiu finalmente em liberdade, ilibado da acusação de ter colocado o seu cão em perigo. Estranho é facto de a única marca que possui um programa criado especificamente para garantir que os animais ficam confortavelmente instalados dentro do veículo não ser do conhecimento das autoridades e, muito menos, da sociedade defensora dos animais.