Nesta terça-feira foi finalizada a cerimónia de despedida dos quatro monges cartuxos que habitavam no Convento da Cartuxa Scala Coeli (Escada do Céu), em Évora, e as monjas do Instituto das Servidoras do Senhor e da Virgem de Matará já foram recebidas na clausura situada nas imediações da cidade alentejana.

Os quatro monges da Cartuxa de Évora, dois octogenários e dois nonagenários, vão mudar-se para outro mosteiro, em Barcelona, em Espanha, devido à sua idade e à falta de vocações. As cerimónias de despedida arrancaram no domingo, dia em que se celebrou a solenidade do seu fundador, S. Bruno, e terminaram nesta terça-feira na igreja renascentista do mosteiro com a clausura aberta a todos os fiéis.

Igreja do Mosteiro de Évora durante cerimónia de despedida

O arcebispo de Évora Francisco Senra Coelho indicou que a congregação feminina que vai ocupar o mosteiro foi fundada em 1988 e que a sua casa geral permanece na Via Della Pisana 332, em Roma, Itália, sendo constituída por “1.350 [monjas], espalhadas pelo mundo, com vocação missionária”.

As monjas que chegaram à Cartuxa de Évora são ligadas à Família Religiosa do Verbo Encarnado

Segundo o arcebispo, será necessário realizar obras no edifício religioso, nomeadamente “rever as celas e cuidar de alguns pormenores”, pois “a Cartuxa é marcadamente masculina e, agora, vai passar a ser para senhoras”. Está prevista a criação de uma hospedaria para pessoas “passarem dias com elas, rezarem, fazerem silêncio, fazerem a experiência da peregrinação interior, tentar descobrir a beleza do amor de Deus, de fazerem, assim, também, vida monástica por alguns dias”, adiantou.

O Mosteiro de Santa Maria Scala Coeli, conhecido localmente como Convento da Cartuxa, “lugar icónico” da cidade de Évora, era até agora o único mosteiro contemplativo masculino de Portugal.