Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Foram as primeiras conversas com os partidos, em busca de uma nova versão da “geringonça”. Acompanhado por uma comitiva do PS, António Costa reuniu-se ao longo desta quarta-feira com os partidos da esquerda parlamentar. O saldo, diz o primeiro-ministro, foi positivo e ninguém “fechou portas” a eventuais entendimentos.

As fotografias abaixo retratam a longa ronda de negociações e identificam os enviados especiais que cada partido levou para as reuniões. A comitiva do PS manteve-se imutável em todas as reuniões: além do primeiro-ministro indigitado, António Costa, estiveram sempre presentes a secretária-geral adjunta, Ana Catarina Mendes, o presidente do PS, Carlos César e o dirigente socialista Duarte Cordeiro.

[Movimente o cursor nas fotos em baixo para ver quem é quem na imagem]

Bloco de Esquerda

1. Pedro Filipe Soares – Líder parlamentar do BE
2. Catarina Martins – Coordenadora do BE
3. Jorge Costa – Deputado e dirigente do BE
4. Mariana Mortágua – Deputada e dirigente do BE

Livre

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

1. Isabel Mendes Lopes – Dirigente do Livre
2. Carlos Teixeira – Número 2 do Livre na lista por Lisboa
3. Joacine Katar Moreira – Eleita deputada pelo Livre
4. Rui Tavares – Fundador do Livre
5. Pedro Mendonça – Responsável pelo programa eleitoral

PAN

1. Inês Sousa Real – Deputada eleita pelo PAN
2. André Silva – Deputado e líder do PAN
3. Francisco Guerreiro – Eurodeputado
4. Artur Alfama – Membro da comissão política do PAN

PCP

1. João Oliveira – Líder parlamentar do PCP
2. Jorge Cordeiro – Membro do comité central do PCP
3. Jerónimo de Sousa – Secretário-geral do PCP
4. Francisco Lopes – Membro do comité central do PCP
5. José Capucho – Membro do comité central do PCP

PEV

1. Victor Cavaco – Membro da comissão executiva nacional do PEV
2. Manuela Cunha – Membro da comissão executiva nacional do PEV
3. José Luís Ferreira – Deputado do PEV
4. Mariana Silva – Deputada eleita pelo PEV

Livre, PEV, PAN, PCP e Bloco de Esquerda puseram as cartas na mesa. A maratona terminou com a confirmação dada a António Costa de que o partido de Catarina Martins (BE) e o de André Silva (PAN) querem continuar a negociar, sabendo que está no Bloco de Esquerda a única hipótese para um acordo que seja transversal a toda a legislatura.

De fora, como já tinha sido anunciado por Jerónimo de Sousa na terça-feira, fica o Partido Comunista, que prefere assumir posições “medida a medida, orçamento a orçamento”.

Da parte do Livre, Rui Tavares afirmou estar indisponível para uma convergência bilateral, mas garante não apresentar nenhuma moção de rejeição ao novo governo. Quanto ao Partido Ecologista – Os Verdes, sublinhou que está aberto a “votar todas as propostas que possam trazer justiça social”.