Emmanuel Macron, o presidente francês, afirmou que “quer acreditar” que o acordo para o Brexit “está a ser finalizado”: “Eu quero acreditar que o acordo está a ser terminado e que o podemos aprovar amanhã”, quando Boris Johnson se encontrar com os líderes europeus, disse ele em Toulouse. Angela Merkel, chanceler alemã, também se diz esperançosa: “Pelo que tenho ouvido nos últimos dias, acho que é cada vez mais possível. Estamos na reta final”.

Michel Barnier, negociador da União Europeia para o Reino Unido, afirmou ao The Guardian que “o acordo está feito” e que “tudo depende de Londres dar a luz verde”: “O que pode ser obstáculo à assinatura na quinta-feira são as objeções do Partido Unionista Democrático”, afirmou. Mas duas fontes governamentais garantiram à Sky News e ao The Guardian que não haverá nenhum acordo para o Brexit esta quarta-feira.

As reações dos líderes europeus surgem depois de o governo britânico apresentar uma moção para uma reunião extraordinária com os membros do Parlamento no sábado. A reunião deverá acontecer entre as 9h30 e as 14h. A votação quanto a essa moção acontecerá esta quinta-feira. Segundo o porta-voz do governo, esta moção “simplesmente demonstra a intenção do Parlamento para se reunir no sábado”.

Ou seja, não significa necessariamente que Boris Johnson já tenha um acordo para o Brexit. É verdade que, mesmo que Londres e Bruxelas chegassem a um acordo para o Brexit, ele tinha sempre de ser votado no Parlamento — o que obrigaria a uma reunião extraordinária. No entanto, este encontro ao sábado também pode significar que não há um acordo definitivo e que é preciso arranjar mais tempo.

As mais recentes atualizações sobre as conversações quanto ao Brexit dizem que Boris Johnson acredita “na possibilidade de haver um bom acordo”, mas que “ainda há questões importantes em cima da mesa”: “Depois de uma discussão positiva, o gabinete deu aos parlamentares um apoio total nos esforços contínuos do governo para garantir um acordo nas vésperas do Conselho Europeu”, disse o porta-voz à BBC.

De acordo com os tweets dos jornalistas que esperavam o fim da reunião entre o primeiro-ministro britânico e os parlamentares conservadores do Comité de 1922 — uma reunião que durou apenas 10 minutos —, Boris Johnson disse que “o cume está perto, mas tudo continua envolto em nevoeiro, estamos no Hillary Step”, uma referência a uma superfície quase vertical perto do cume do Monte Evereste — que, segundo alguns montanhistas, já não existe após ter sido destruída por um terramoto.

As novidades sobre a reunião surgem depois de Donald Tusk, presidente do Conselho Europeu, ter dito que “tudo ficará claro em sete ou oito horas”: “Ainda está a sofrer alterações e as premissas básicas deste acordo estão prontas e, teoricamente, podemos aceitar um acordo amanhã”. No entanto, ressalvou: “Tudo está a avançar na direção certa, mas terão reparado que com o Brexit e sobretudo com os nossos parceiros britânicos tudo é possível”.