Todas as consultas na clínica setubalense Eco Sado, onde trabalha o médico obstetra que não detetou as malformações do bebé que nasceu sem rosto, estão suspensas, confirmou o Observador junto do estabelecimento de saúde.

A Eco Sado não explicou se a suspensão do serviço foi uma decisão tomada pela própria clínica, se foi resultado de uma ordem das autoridades fiscalizadoras dos serviços de saúde ou da falta de comparência do médico nesta sexta-feira.

O Jornal de Notícias noticiou ao início desta tarde que Artur Carvalho não compareceu esta manhã na clínica, e que esta não estava a receber grávidas para consultas esta sexta feira nem se previa que o fizesse durante a próxima semana. Ao Observador, fonte da clínica adiantou que não eram apenas as consultas do serviço de ginecologia e obstetrícia,  mas todas as dos vários serviços.

Já sexta-feira de manhã, o Ministério da Saúde anunciou que vai pedir à Ordem dos Médicos esclarecimentos sobre os processos que envolvem o médico obstetra e o Centro Hospitalar de Setúbal, onde o bebé nasceu, anunciou a abertura de um inquérito sobre o caso.

O caso foi noticiado na quinta-feira pelo jornal Correio da Manhã. Rodrigo nasceu no dia 7 de outubro no Hospital de São Bernardo sem olhos, nariz e parte do crânio, depois de a mãe ter realizado 3 ecografias com o obstetra na clínica privada em Setúbal.