Morreu no passado domingo, 27 de outubro, o ator, realizador, escritor e humorista brasileiro Jorge Fernando. Figura central da televisão brasileira desde os anos 1980, Jorge Fernando tinha 64 anos e estava internado num hospital em Copacabana, no Rio de Janeiro, indica o portal G1, que pertence ao grupo Globo. A unidade de saúde em questão, Copa Star, indica que o ator e realizador brasileiro morreu de paragem cardíaca, devido a um problema na aorta.

Jorge Fernando tinha regressado este ano ao trabalho, após dois anos afastados devido a um problema de saúde (recuperava de um acidente vascular cerebral, ou seja, de um AVC). Figura central da televisão brasileira desde os anos 1980, o ator e realizador brasileiro teve o seu último trabalho já este ano, como diretor e ator da novela “Verão 90”, acrescenta o G1.

A carreira profissional de Jorge Fernando começou em 1978, na televisão (participou como ator em “Ciranda, Cirandinha”) e teatro (criou e interpretou o espetáculo “Zoológico”). Foi contudo no início dos anos 1980 que começou a ganhar proeminência no meio televisivo, com telenovelas como “Jogo da Vida”, “Sétimo Sentido”, “Sol de Verão” e “Guerra dos Sexos”, que realizou, e “Água Viva”, em que participou como ator. Na segunda metade dessa década, teve ainda destaque ao interpretar a personagem Lúcio Armando na telenovela “Roque Santeiro”, que foi um sucesso de audiências também em Portugal.

Nos anos 1990, Jorge Fernando manteve-se uma presença importante nas telenovelas brasileiras, participando como ator em “Rainha da Sucata”, “Vamp”, “Deus nos Acuda” e “Zazá” — que também realizou — e ainda “Era uma Vez…” e “Torre de Babel”. Foi ainda o realizador de “A Próxima Vítima” e “Vira Lata”, entre outras.

A sitcom brasileira “Sai de Baixo”, exibida no Brasil pela TV Globo entre 1996 e 2002, foi outro dos projetos em que esteve envolvido, primeiro como ator e depois, entre 2000 e 2001, como realizador. Nos últimos 20 anos continuou a trabalhar quase ininterruptamente — a exceção aconteceu nos anos de 2017 e 2018, em que recuperava do AVC que o afetou fortemente —, realizando novelas como “Alma Gémea” e “Sete Pecados” (entre outras) e participando como ator por exemplo em “Alto Astral”, que também realizou, e “Malhação”.

Além dos trabalhos como realizador e ator em televisão, dirigiu ainda a TV Globo, participou como ator nos filmes Alma Corsária, Se Eu Fosse Você, Xuxa Gémeas, A Guerra dos Rocha e realizou o filme Sexo, Amor e Traição, de 2014. A grande paixão foi, contudo, a televisão.