O Brasil vendeu 3 mil milhões de dólares (2,7 mil milhões de euros) em títulos da sua dívida externa, anunciou o Tesouro Nacional, órgão vinculado ao ministério da Economia.

O governo brasileiro emitiu 500 milhões de dólares (451,2 milhões de euros) em títulos com vencimento para o ano de 2029, e outros 2,5 mil milhões de dólares (2,7 mil milhões de euros) em novas notas com vencimento para 2050.

A informação sobre as emissões e a venda de títulos da dívida externa brasileira foi confirmada na noite de segunda-feira.

O órgão destacou que títulos de dívida externa brasileira tiveram as menores taxas de juro desde 2012, quando o país ainda tinha o selo de “bom pagador” das agências de classificação de risco.

O Tesouro brasileiro também anunciou uma oferta pública para sete séries de títulos com vencimentos que variam de 2027 a 2047.

A venda ocorreu na sequência da aprovação de mudanças no sistema de pagamento de pensões por reforma, projeto que ajudará o Brasil a equilibrar as contas públicas e tornou o país mais atraente para os investidores estrangeiros.

Segundo informações divulgadas pela Bloomberg, a venda também ocorreu num momento em que há um clima otimista no mercado de capitais mundial face à possibilidade de um acordo provisório para terminar a guerra comercial entre Estados Unidos e China, que impulsionou o interesse dos investidores em ativos mais arriscados.

O Brasil havia vendido títulos da divida externa pela última vez em março, quando levantou 1,5 mil milhões de dólares (1,3 mil milhões de euros) em papéis com vencimento para 2029.