A Autoridade da Concorrência (AdC) encerrou a investigação aprofundada à compra pela Fidelidade dos fundos de investimento imobiliário Saudeinveste e IMOFID, donos de imóveis arrendados a hospitais concorrentes do Hospital da Luz, detido pela seguradora, como os Lusíadas.

O Conselho da AdC, em decisão tomada na terça-feira, e publicada na sua página de internet, declara “extinto o procedimento correspondente à análise da operação” de concentração, no pressuposto de que a Fidelidade “se abstém de exercer o controlo sobre o Fundo Saudeinveste, limitando a sua atuação a meros atos de gestão corrente”.

Em 5 de julho, a AdC abriu uma investigação aprofundada à operação de concentração resultante da compra pela Fidelidade do controlo exclusivo dos fundos de investimento imobiliário Saudeinveste e IMOFID, anteriormente geridos por uma sociedade gestora de fundos do grupo Caixa Geral de Depósitos.

A decisão de investigar, justificou na altura a AdC, baseou-se na “dimensão vertical” da operação, tendo em conta que parte dos ativos imobiliários são utilizados em regime de arrendamento, por operadores hospitalares privados concorrentes da Luz Saúde, empresa que integra o grupo Fidelidade, que passou a deter a gestão dos referidos fundos.

“Perante os elementos recolhidos até ao momento, não se pode excluir” que a operação resulte em “entraves significativos à concorrência efetiva no mercado”, alegava na altura a Concorrência, identificando a possibilidade de “um encerramento do mercado aos operadores concorrentes da Luz Saúde que dependem daqueles ativos imobiliários”.