Centenas de pessoas pró-independência da Catalunha manifestaram-se, este sábado, nas ruas da Catalunha, no dia que antecede as eleições legislativas. Os gritos pela libertação dos independentistas presos começou pelas 19 horas locais (18 horas em Lisboa), mas terminou em menos de duas horas.

Os manifestantes tinham passado a tarde na praça da Universidade de Barcelona e depois tentaram dirigir-se para a praça Urquinaona, uma das principais praças no centro de Barcelona e cenário dos protestos depois de conhecida a pena dos independentistas catalães que organizaram o referendo.

O movimento constante dos manifestantes e a mudança de ruas obrigou os Mossos de Esquadra a moverem-se também para bloquearem as ruas que levavam ao centro da cidade, incluindo uma rua que levava até à sede da Polícia.

O constante movimento dos manifestantes, entrando por ruas onde não estava prevista a sua passagem, apanhou famílias com crianças de surpresa. Os confrontos começaram com o atirar ovos e insultos aos agentes, depois foram virados contentores do lixo e arrastados, alguns deles, pela estrada.

Os jornalistas no local também foram alvo dos manifestantes que lhes atiram com alimentos podres, noticia o jornal El País.

No momento em que se iniciaram os confrontos (pelas 19h30 de Lisboa), o grupo de manifestantes era menor do que o que tinha saído da praça da Universidade de Barcelona onde de reuniram, reportou a jornalista da RTP no local. Naquele momento, os manifestantes que não desejavam confrontos já teriam abandonado as ruas.

A manifestação deste sábado, dia de reflexão em Espanha, foi convocada pela plataforma independentista Tsunami Democràtic. A plataforma convocou mais de 300 ações culturais em diferentes municípios da Catalunha, que, em alguns casos, culminaram em manifestações nas ruas. A mesma plataforma incitou os seguidores para novas manifestações de 11 a 13 de novembro, depois das eleições.

Atualizado às 22 horas com o fim dos protestos