Marcelo Rebelo de Sousa afirmou esta quarta-feira que a paixão da sua vida foi e é a universidade, e não a política nem a comunicação, e que é Presidente da República por causa dela.

O chefe de Estado falava numa cerimónia na Universidade de Bolonha em que recebeu o “Sigillum Magnum” desta instituição, uma medalha atribuída pela instituição a personalidades desde 1888, perante o seu homólogo italiano, Sergio Mattarella, com o ex-presidente da Comissão Europeia Romano Prodi também na assistência.

Marcelo Rebelo de Sousa considerou que esta “é uma homenagem a Portugal”, mas ao mesmo tempo “uma honra pessoal”, tendo em conta o seu percurso como professor universitário de Direito: “Porque a paixão da minha vida foi e é a universidade. Não foi a política, não é a política. É-se Presidente por um ou mais mandatos limitados, é-se académico toda a vida”.

“Não foi a comunicação ou a comunicação social. Tudo o que fiz na vida, fiz por causa da universidade. Como tantos de vós, sacrificámos vida familiar e pessoal por causa da universidade. Como tantos de vós, vivemos cívica e politicamente por causa da universidade. Como tantos de vós, participámos em movimentos sociais, económicos, culturais, por causa da universidade”, prosseguiu.

Dirigindo-se para os académicos presentes no auditório, acrescentou: “Como tantos de vós, fui constituinte, exerci funções políticas, administrativas, legislativas, no poder local, por causa da universidade. Sou Presidente da República Portuguesa por causa da universidade, por causa da paixão da minha vida”.