A próxima aventura de 007, o agente preferido de Sua Majestade, vai chegar aos cinemas em Abril do próximo ano. Mas se o enredo ainda permanece no maior dos mistérios, sabe-se já que o filme vai parecer, em algumas ocasiões, um stand de automóveis. E de luxo, pois além dos Aston Martin DBS Superleggera, V8 Vantage, o icónico DB5 e o novíssimo e ousado Valhala, vão igualmente estar presentes o novo Range Rover SVR e dois clássicos da marca britânica, nomeadamente um Land Rover Série III e um Range Rover com muitos milhares de quilómetros. Mas a estrela, entre os actores de quatro rodas, é o novo Land Rover Defender.

O modelo utilizado no filme é a versão longa do Defender, o 110, que nas mãos dos duplos de cinema faz autênticas maravilhas, ainda que em algumas ocasiões fique mais amassado do que o chapéu de um pobre. Menos mal que são sempre requeridas várias unidades similares aos patrocinadores, uma vez que há umas quantas que estão condenadas a, depois de umas acrobacias, irem direitinhas para a sucata.

Lee Morrison, o coordenador de duplos para o filme No Time to Die, teve oportunidade de conduzir o novo Defender muito antes de ele estar disponível para os clientes da marca. “Precisávamos de um veículo imparável que nos ajudasse a vencer os elementos, descer encostas e cruzar rios, pelo que decidimos contar com o novo Defender. Fiquei muito impressionado com o Defender porque superou todas as expectativas”, afirmou o especialista em habilidades.

Mas antes de desatar a submeter um dos novos jipes da Land Rover ao tipo de tratamento que vai ter ocasião de ver no filme, o melhor é pensar duas vezes. É que os veículos colocados à disposição dos duplos, para serem utilizados nas cenas mais impactantes, são unidades transformadas pela Action Vehicles, da produtora da saga James Bond, segundo as necessidades da equipa de efeitos especiais contratada para o mais recente filme da série.