A operação foi confirmada pelo exército, depois de ter sido divulgada pela imprensa. Os militares do exército chinês foram destacados este sábado em Hong Kong para ajudar na limpeza das ruas dos destroços das barricadas feitas pelos manifestantes pró-democracia.

“Soldados do Exército de Libertação Popular (ELP) ajudaram os habitantes a limpar as ruas e foram aplaudidos pelos moradores”, indicaram os militares na rede social Weibo.

Numa rara saída da sua caserna em Hong Kong, os soldados chineses participaram na limpeza das ruas após uma semana de caos no território. A operação durou menos de uma hora e os militares regressaram depois às suas instalações.

Hong Kong é uma ex-colónia britânica entregue à China em 1997. Nesta data, o ELP estabeleceu uma guarnição no território autónomo, mas os militares permanecem discretos e raramente são vistos nas ruas.

Hong Kong vive desde junho a sua pior crise política desde 1997. Os manifestantes exigem nomeadamente o sufrágio universal para a eleição do chefe do executivo local.

A mobilização deu nova volta esta semana com o lançamento de uma operação de bloqueamento dos transportes e de vandalismo, embora hoje a tensão tenha baixado.

O governo central em Pequim e o Ministério da Defesa chinesa lembraram diversas vezes que o ELP tem o direito de intervir em Hong Kong para restabelecer a ordem.