O Chair Challenge, em português “Desafio da Cadeira”, é um desafio que se está a tonar viral – pela segunda vez… (mas já lá vamos) – graças à rede social Tik Tok. E tudo porque, supostamente, as mulheres têm um desempenho muito melhor do que os homens quando se submetem à prova.

O jogo é muito simples. Consiste em colocar o corpo a três pequenos passos de distância de uma parede, dobrar o tronco num ângulo de 90 graus com a cabeça encostada, quase como se tratasse de um alongamento, e pegar uma cadeira junto ao tronco. Dessa posição é preciso – sem mexer os pés – voltar a colocar o corpo direito. Supostamente as mulheres têm mais facilidade. E é isso mesmo que mostra a maioria dos vídeos disponíveis nas redes sociais.

O jogo teve origem num episódio da série televisiva dos anos 197o “Uma Família às Direitas”, na qual Gloria Bunker (Sally Struthers) tenta mostrar ao pai Archie Bunker (Carroll O’Connor) precisamente que os homens são incapazes de completar a tarefa, ao contrário das mulheres. Archie Bunker, tal como o marido de Gloria, Michael Stivic (Rob Reiner), não o conseguem fazer. Archie julga tratar-se de um truque qualquer, até que, com a mesma cadeira, a sua mulher Edith Bunker (Jean Stapleton) consegue.

A reação tem sido praticamente a mesma em 2019, com o desafio a retomar a viralidade na plataforma Tik Tok. Já em 2010 tinha havido um surto destes vídeos, na altura no YouTube, com milhares destes desafios a serem partilhados por pessoas de todo o mundo. Ainda se mantinha a discrepância entre homens e mulheres na hora de completar a tarefa, mas – na verdade – não existem grandes dados científicos que comprovem que as mulheres são mais aptas para esta tarefa que os homens.

Em 2010, um grupo de cientistas citado pelo jornal inglês The Sun tentava descodificar o que se passava, mas sem grandes resultados. Uma das teorias tem que ver com o centro de gravidade de cada um dos géneros que, consoante a altura, pode tornar tudo mais fácil ou mais complicado. Daí que as mulheres, tradicionalmente com o centro de gravidade na zona das ancas, tenham mais facilidade que os homens, com o seu peso concentrado no peito — que dificulta o gesto de levantar. Esta é a explicação também apontada por um cardiologista porto-riquenho, Juan Rivera.

Uma outra teoria, e mais fácil de aceitar, aponta para o tamanho dos pés como o fator decisivo. A maioria das instruções deste desafio indicam que os três passos (que nos afastam da parede) são passos “à bebé”, ou seja, cada passo tem o comprimento de um pé. Logo aqui, quem tem os pés mais pequenos está em vantagem.

Uma pessoa que tentou e falhou redondamente foi o apresentador de televisão americano Dr. Oz. O vídeo ilustra o que já se sabia, os homens não conseguem levantar-se, mas as mulheres sim. Depois de ensinar uma assistente como se faz o desafio, o apresentador tenta e realça que, realmente, está mais afastado da parede graças a passos maiores.