A polícia do Rio de Janeiro identificou o principal suspeito do ataque à sede da produtora da Porta dos Fundos, avança a imprensa brasileira.

Trata-se de Eduardo Falzi Richard Cerquise, de 41 anos, e continua em fuga — embora a polícia tenha identificado a morada do indivíduo e efetuado buscas na casa já nesta terça-feira.

Segundo a Folha de São Paulo, Eduardo Falzi era o único dos atacantes que não tinha a cabeça coberta durante o ataque.

Na casa do suspeito foi encontrado dinheiro, armas falsas, munições, uma camisola associada ao movimento integralista e computadores, de acordo com a polícia.

O delegado Marco Ribeiro, da polícia do Rio de Janeiro, disse que o suspeito “tem um perfil violento e antagónico”. Em declarações citadas pela imprensa brasileira, o responsável policial disse que foram encontrados também “livros ligados à religião cristã e ao islamismo” na casa de Eduardo Falzi.

“Ele é um empresário de classe média alta. Ainda devemos identificar os demais autores do ataque”, acrescentou.

Ainda de acordo com a imprensa brasileira, que cita a polícia civil, Eduardo Falzi Richard Cerquise já tinha condenações em tribunal. Em 2013, agrediu o secretário de Ordem Pública do Rio de Janeiro, Alex Costa, durante uma conferência de imprensa, encontrando-se em liberdade condicional.

“Se ele está respondendo a processo de liberdade e comete outros delitos, provavelmente, isso em uma decisão da Justiça, será revogada a liberdade provisória e se decreta a prisão novamente neste processo. Existe outro crime apurado para no futuro ser levado à Justiça. Temos um mandado de prisão temporária”, disse Marco Ribeiro.

Eduardo Falzi será agora acusado de tentativa de homicídio por explosão, detalha a Folha de São Paulo.

A sede do grupo humorístico Porta dos Fundos foi atacada na noite de Natal com cocktails Molotov por um conjunto de indivíduos encapuzados em resposta ao filme de Natal do grupo distribuído através da Netflix.

O filme retrata a figura de Jesus Cristo como homossexual e descreve a relação entre Maria, José e Deus como um triângulo amoroso.

Por causa destas referências, o filme — intitulado “A Primeira Tentação de Cristo” — suscitou reações negativas por parte da ala mais conservadora da sociedade brasileira, incluindo do setor político mais ligado à Igreja.

Na semana passada, um grupo de extrema-direita associado ao integralismo brasileiro (corrente que defende um Estado inspirado na doutrina cristã) reivindicou o ataque.

Na sequência da notícia da identificação do suspeito, o grupo Frente Integralista Brasileira, que representa a ideologia integralista, anunciou em comunicado a expulsão de Eduardo Fauzi do movimento.

“O Conselho Diretivo Nacional da FIB, em reunião extraordinária, decidiu em caráter irrevogável expulsá-lo das fileiras da FIB e conclamar aos leais companheiros que tiverem informações que possam ajudar na elucidação do caso que cooperem com as autoridades policiais”, lê-se no comunicado.

“O lamentável episódio nos faz refletir a respeito da importância de um zelo maior e melhor formação dentre aqueles que entram no Movimento”, acrescenta a nota.