Dois cocktails molotov foram esta terça-feira atirados contra a fachada do prédio onde está instalada a produtora do grupo de humor brasileiro Porta dos Fundos. A notícia foi avançada pelo jornal Globo, que cita fonte da produtora.

Segundo a informação adiantada pela publicação brasileira, o segurança de serviço no prédio evitou que o fogo provocado pelos cocktails molotov alastrasse e provocasse um incidente mais grave. Os danos ficaram-se “pela receção e pelo quintal”. “A avaliação dos integrantes do grupo é e a de que, caso não houvesse um segurança no local, todo o prédio teria sido incendiado. O fogo foi contido por um funcionário que estava no prédio”, escreve o Globo.

O mesmo jornal diz ter apurado, que o segurança de serviço viu uma moto em contramão e uma pick-up a passar junto ao prédio no momento em que o ataque terá acontecido, na madrugada de dia 24, por volta das 4h, hora do Rio de Janeiro.

O ataque desta terça-feira surge dias depois de uma onda de críticas contra o Especial de Natal da Porta dos Fundos gerado mesmo uma petição online pela retirada do programa do alinhamento da Netflix (que em Portugal também disponibiliza o programa), que ultrapassou um milhão de assinaturas. “A Primeira Tentação de Cristo” retrata Jesus (Gregório Duvivier) como homossexual, numa relação com Orlando (Fábio Porchat). O ator António Tabet interpreta Deus, que vive um triângulo amoroso com José (Rafael Portugal) e Maria (Evelyn Castro).

[o trailer do Especial de Natal deste ano da Porta dos Fundos:]

Numa nota enviada aos meios de comunicação brasileiros, o grupo Porta dos Fundos “condena qualquer ato de ódio e violência e, por isso, já disponibilizou as imagens das câmaras de segurança para as autoridades e espera que os responsáveis pelos ataques sejam encontrados e punidos”. Acrescenta ainda que o grupo de humoristas seguirá “mais unido, mais forte e mais inspirado pela liberdade de expressão”.

O caso está a ser tratado como crime de explosão. “A perícia foi realizada no local e a equipe do Esquadrão Antibombas arrecadou fragmentos dos artefactos para análise. Diligências estão em andamento para esclarecer o caso”, escreve o site UOL, citando fonte policial.

O especial deste ano tem o título “A Primeira Tentação de Cristo”, com um Jesus de Nazaré homossexual. No Twitter, Eduardo Bolsonaro, um dos filhos do Presidente do Brasil, disse mesmo, a propósito da produção: “Somos a favor da liberdade de expressão, mas vale a pena atacar a fé de 86% da população? Fica a reflexão.”

A Associação Nacional de Juristas Islâmicos repudiou publicamente o filme. Frederico D’Avila, Deputado Estadual de São Paulo e apoiante do governo de Bolsonaro, pretende debater o que diz ser um “crime” e um “insulto contra a família”. Tanto a Justiça de São Paulo como do Rio de Janeiro não deram razão às queixas e defendem a permanência do filme. A Netflix renovou o contrato com a Porta dos Fundos.

O comunicado da Porta dos Fundos na íntegra:

“Na madrugada do dia 24 de dezembro, véspera de Natal, a sede do Porta dos Fundos foi vítima de um atentado. Foram atirados coquetéis molotov contra nosso edifício. Um dos seguranças conseguiu controlar o princípio de incêndio e não houve feridos apesar da ação ter colocado em risco várias vidas inocentes na empresa e na rua.

O Porta dos Fundos condena qualquer ato de violência e, por isso, já disponibilizou as imagens das câmeras de segurança para as autoridades, para o Secretário de Segurança e espera que os responsáveis pelos ataques sejam encontrados e punidos. Contudo, nossa prioridade, neste momento, é a segurança de toda a equipe que trabalha conosco. 

Assim que tivermos mais detalhes, voltaremos a nos manifestar. Mas, por enquanto, adiantamos que seguiremos em frente, mais unidos, mais fortes, mais inspirados e confiantes que o país sobreviverá a essa tormenta de ódio e o amor prevalecerá junto com a liberdade de expressão.”