Como todos os construtores tradicionais de automóveis, também a Ford tem necessidade de rapidamente apresentar no mercado propostas tecnologicamente aceitáveis de veículos eléctricos. Para recuperar o atraso de que enferma nesta matéria, o construtor americano sentiu a necessidade de recorrer a uma jovem empresa, que ainda não produziu um único modelo, mas que promete ter algumas cartas na manga.

A Ford assinou um acordo de colaboração com a Rivian em 2019, de que nunca foram revelados grandes pormenores. Agora, porque o CEO da Rivian, Robert Scaringe, levantou uma ponta do véu, conhecem-se por fim alguns detalhes. E estes passam por a Rivian recorrer à sua plataforma, motores e baterias para conceber um novo SUV topo de gama, que deverá ser comercializado com o emblema da Lincoln, a marca de luxo da Ford.

Segundo Scaringe, a Ford não só vai pagar à Rivian para lhe conceber o SUV eléctrico, como também para o fabricar na sua fábrica em Normal, no Illinois. O SUV será integralmente construído em alumínio, com a Rivian a assumir que a Ford se comprometeu a partilhar alguma da experiência que possui na fabricação com recurso a este metal mais leve.

O novo SUV que a Rivian está a desenvolver para a Ford surgirá em 2022, com algumas das soluções que a Rivian vai utilizar no seu próprio SUV, o R1S, bem como na pick-up, a R1T. As suas baterias oscilam entre os 105, 135 e 180 kWh, com as potências dos quatro motores, uma vez que a Rivian é fã da utilização de um motor por roda, a poder atingir 764 cv.

De recordar que, para além da Ford, a Rivian tem já firmado um segundo contrato, desta vez com a Amazon, uma vez que Jeff Bezos é um dos investidores que está convencido que esta empresa pode ser uma segunda Tesla. A Amazon encomendou 10.000 furgões eléctricos para entregas de encomendas, que vão começar a ser entregues já no próximo ano.