Nem sempre as mudanças de imagem são bem recebidas e isso é ainda mais provável quando se introduzem alterações significativas. No caso da BMW, ainda os clientes se estão a adaptar à nova grelha da marca – com o típico formato duplo rim, mas a ocupar uma área muito maior na frente dos novos modelos – e já há outra mudança a dividir opiniões: o emblema.

O construtor alemão planeava apresentar no Salão de Genebra o concept que antecipa o futuro i4, mas o protótipo reservado para o certame exibe outro motivo de interesse: a frente mostra o novo logótipo da BMW. É um facto que tem uma aparência muito mais moderna, mas introduz a transparência no anel, o que significa que a cor da carroçaria passa a integrar o emblema. Ora, esta variável não está a ser bem recebida, de acordo com uma pesquisa da YouGov.

A sondagem efectuada pela empresa britânica levou primeiro os inquiridos a avaliarem separadamente o antigo logótipo e o novo. Sem que pudessem sequer ser comparados, os emblemas “provaram” o que valiam só por si:  49% classificou o antigo como excelente ou muito bom, mas só 28% dos consultados atribuiu igual classificação ao novo… Posteriormente,  o inquérito tratou de colocar os emblemas lado a lado, perguntando qual dos dois os inquiridos preferiam. E aí a rejeição do novo foi ainda mais evidente, pois 71% dos inquiridos não hesita em escolher o antigo.

Apesar de ter surgido num protótipo, a BMW não planeia utilizar o novo emblema nos seus futuros modelos. Ao contrário, por exemplo, do que fez a Volkswagen. A marca da hélice assegurou à Motoring Research que, de resto, o novo logótipo vai ser aplicado em tudo. Mesmo tudo: eventos, presença do fabricante nas redes sociais, campanhas e comunicação corporativa. Tudo menos carros – estes vão continuar com o antigo emblema. Esta (estranha) coexistência será evidente até ao final de Maio de 2021, altura em que se prevê que o novo emblema já esteja completamente integrado nas diferentes plataformas. De acordo com o fabricante, o novo logótipo “é mais adequado à era digital”.