A escola de programação francesa Le Wagon e a Startup Portugal (responsável por implementar a estratégia nacional para o empreendedorismo) criaram um movimento para ajudar a comunidade tecnológica a lidar com as consequências da pandemia de Covid-19. Com os eventos, escritórios, espaços de cowork e centros de estudo fechados temporariamente, as duas entidades lançaram uma plataforma de eventos online para empresas de tecnologia.

A iniciativa chama-se “Stay Home, Keep growing” e quer promover que as pessoas fiquem em casa e se foquem em atitudes que ajudem empreendedores e profissionais de tecnologia a desenvolver projetos, escalar negócios ou ampliar o seu leque de conhecimentos. Vai conter webinars, workshops e palestras a decorrer de forma remota, munindo os empreendedores e startups de ferramentas que permitam escalar os negócios em tempos de isolamento.

“São iniciativas como esta que mostram como temos um ecossistema incrível. É nos momentos difíceis que cada geração e comunidade mostra como consegue adaptar-se a novas realidades e reinventar-se com pertinência e missão”, afirmou em comunicado João Mendes Borga, da Startup Potugal.

Shannon Graybill, fundadora da Le Wagon (que é especialista em experiências imersivas de aprendizado em tecnologia e mudança de carreira) diz que a escola recebe diversos meetups e comunidades e que percebe o impacto que têm na comunidade. “Poder colaborar para que estas iniciativas não parem e podermos causar um impacto ainda mais positivo é algo extremamente valoroso”, afirma em comunicado.

Os webinars transmitidos pela iniciativa serão realizados, pelo menos durante o período inicial, duas vezes por semana, em horário pós-laboral e contarão com parceiros de todo o país.

Há vários movimentos que estão a surgir no ecossistema para fazer face à pandemia do novo coronavirus, que já infetou mais de 700 pessoas em Portugal e matou três. O “tech4COVID19” juntou mais de 120 empresas para lutar contra a Covid-19. Quer encontrar medidas como melhorar o rastreamento da doença ou facilitar videochamadas entre médicos e doentes.