O arranque da produção do Polestar 2, o primeiro modelo 100% eléctrico da jovem marca de performance eléctrica pertencente ao Volvo Car Group, estava previsto para o início de 2020. Começou agora, numa fábrica localizada em Luqiao (China), numa altura em que a maioria dos construtores de automóveis (incluindo a Volvo) estão a braços com dificuldades para cumprir planos de produção, devido à pandemia do coronavírus que teve origem, precisamente, na China.

O mundo vive momentos inquietantes por causa da pandemia. Começámos a produção em série nestas circunstâncias desafiadoras, com um forte foco na saúde e na segurança dos nossos trabalhadores. Esta é uma conquista que resulta do grande esforço do pessoal da fábrica e da equipa que gere a cadeia de fornecedores”, declarou o CEO da Polestar, Thomas Ingenlath.

A fábrica de onde sai o primeiro rival directo do Tesla Model 3 pertence à Zhejiang Geely Holding, de Li Shufu, o homem que controla a Volvo desde 2010 e que se tornou no maior accionista da Daimler. O centro de produção vai ser operado pela Volvo, o que significa que a Polestar capitaliza assim a capacidade industrial do grupo chinês e o know-how do fabricante sueco.

13 fotos

Segundo a marca, a entrega das primeiras unidades a clientes está prevista para o Verão, com prioridade para mercados europeus seleccionados onde já abriram as pré-reservas, mediante o pagamento de 1000€ (depósito reembolsável). Depois da Europa segue-se a China e, mais tarde, a América do Norte, com a Polestar a fazer saber que o 2 chegará, numa primeira fase, a 10 mercados. Recorde-se que, à semelhança da Tesla, também a jovem marca pretende abraçar as vendas exclusivamente online, dispensando por isso uma rede de concessionários.

Com um preço que ronda os 60.000€ na Alemanha, o fastback da Polestar reclama uma capacidade de reboque líder no segmento dos eléctricos compactos (1500 kg). Monta dois motores eléctricos, um por eixo, que debitam uma potência conjunta de 300 kW (408 cv) e 660 Nm de binário máximo. Haverá versões sem tracção integral, mais acessíveis, mas nunca antes de 2021.  A autonomia da versão de arranque do Polestar 2 é de 500 km, no ciclo europeu WLTP, cortesia de uma bateria com 78 kWh, cuja potência de carga está fixada nos 150 kW.