Nos EUA, à semelhança de muitos outros países, reina o “desespero” para conter o coronavírus. O número de pacientes de Covid-19 não pára de aumentar e é inversamente proporcional ao equipamento disponível não só para manter vivos os doentes mais graves, como para proteger os profissionais de saúde que os têm de assistir. Apesar de se tratar da maior economia do mundo, a falta de material tem levado os hospitais norte-americanos a solicitar ajuda a indivíduos e empresas, no sentido de suprimir algumas das suas necessidades. Elon Musk e as empresas que controla são disso um bom exemplo.

Recentemente Musk, perante uma solicitação de Bill de Blasio, mayor de Nova Iorque, comprometeu-se a fabricar ventiladores na fábrica da Tesla em Fremont, na Califórnia. “O nosso país está com uma necessidade dramática de ventiladores, pelo que gostaríamos de contar com a sua ajuda, daí que o esteja a contactar directamente”, pediu Blasio. A que o CEO da Tesla e da SpaceX respondeu afirmativamente.

Esta semana, Musk afirmou que a suas empresas possuem, em armazém, uma quantidade apreciável de equipamento de protecção pessoal (ou PPE), cerca de 300 mil kits que, além de ter utilização industrial, possuem o nível de protecção N95. Ou seja, equipamento que pode ser utilizado pelos médicos e enfermeiros envolvidos na luta contra o coronavírus. Não foi preciso esperar muito para que os hospitais da zona agarrassem a oportunidade com ambas as mãos.

O hospital da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, recebeu 250 mil kits, entre fatos de protecção, máscaras e luvas, para o hospital da Universidade de Washington ficar com os restantes 50 mil. E para que não houvesse perdas de tempo, uma vez que havia vidas em jogo, o material destinado a Washington foi entregue, ainda encaixotado, na garagem do médico Adams Waldorf, que depois o transportou para a instituição.

Segundo o The Seattle Times, Waldorf contou que o irmão de um amigo trabalhava na Tesla e, sabendo das necessidades urgentes dos hospitais em termos de equipamento de protecção, contactou Elon Musk. Horas depois, o médico recebia na sua garagem as caixas do equipamento produzido pela 3M.