Repete-se em Amesterdão, repete-se na Holanda, repete-se onde quer que Donny Van de Beek vá, onde quer que Steven Bergwijn jogue, onde quer que Frenkie De Jong apareça. Appie, o nome carinhoso pelo qual Abdelhak Nouri sempre respondeu, repete-se por vários motivos desde que o jovem jogador do Ajax colapsou durante um jogo particular contra o Werder Bremen. Estávamos em julho de 2017. Appie não voltou a levantar-se sozinho, foi transportado para o hospital, ficou confirmada a paragem cardíaca e eram irreversíveis os danos cerebrais. Aos 20 anos, o futebol europeu tinha perdido uma das maiores promessas — e a família Nouri sofria por um filho, um irmão e um neto.

Passaram quase três anos. Quase três anos em que Nouri esteve em coma. Três anos que viram o Ajax de Nouri chegar às meias-finais da Liga dos Campeões, na temporada passada, com uma equipa que tinha muitos dos antigos colegas do antigo médio ofensivo. Três anos que viram Van de Beek celebrar o primeiro golo pela equipa principal do Ajax ao 34.º minuto, para depois celebrar ao formar com os dedos o número que Nouri usava nas costas; três anos que viram Bergwijn mudar-se do PSV para o Tottenham e marcar na estreia da Premier League depois de o irmão de Nouri lhe dizer que o iria fazer pelo amigo; e três anos que viram De Jong decidir assinar pelo Barcelona depois de visitar Nouri.

Van de Beek fez mais um jogo por dois, em memória do amigo Appie Nouri

Esta quinta-feira, o irmão de Appie Nouri confirmou que o antigo jogador do Ajax, agora com 22 anos, acordou do coma e está em casa, com a família. “Já não se encontra em coma mas continua muito dependente. Está acordado, dorme, come, arrota mas mal sai da cama. Em bons momentos, há uma maneira de comunicar, porque ele mexe as sobrancelhas. Mas simplesmente não aguenta durante muito tempo, é como um desporto para ele”, disse Abderrahim ao jornal holandês De Telegraaf. O irmão de Nouri explicou ainda que o jovem holandês “está consciente, ciente do sítio onde está”, e que a família tenta manter conversas normais.

“Appie está numa cadeira de rodas. Ele está lá, faz parte da família. Continuamos a falar como sempre falámos com ele, geralmente sobre futebol. Faz sentido que ele esteja lá”, acrescentou o irmão do antigo jogador. Entretanto, Abderrahim também marcou presença num programa de televisão holandês, que serviu principalmente para recordar Nouri e anunciar o lançamento de um livro sobre a história do médio ofensivo: e onde estiveram Van de Beek, Bergwijn e De Jong.

Confirmam-se as piores notícias: jogador do Ajax que colapsou em jogo sofreu “danos cerebrais sérios e permanentes”

“Foi difícil mas também muito especial falar sobre o Appie em conjunto com a família Nouri, o Bergwijn e o De Jong ontem. Ver imagens dele outra vez ainda é intenso para mim mas ao mesmo tempo faz-me sorrir. Sinto-me feliz por ter jogado com ele e dou valor à nossa amizade. Acredito que a forma como esta família linda interage é o exemplo perfeito para tanta gente. Tanto amor. Agora vou ler o livro. Espero que muitos de vocês também”, escreveu Van de Beek, que jogou com Nouri desde os nove anos, no Instagram. Dois anos, oito meses e 19 dias depois, Appie Nouri acordou.