O presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP), Jaime Marta Soares, queixou-se esta sexta-feira da falta de equipamento de proteção individual nas corporações, colocando em risco os bombeiros que prestam socorro aos doentes com Covid-19.

“Não temos equipamentos de proteção individual (…), corremos riscos para salvar outros que estão em risco”, afirmou aos jornalistas Jaime Marta Soares, após uma audiência com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, no Palácio de Belém, em Lisboa.

Jaime Marta Soares referiu que “há dois meses e meio” alertou as autoridades para a carência de material de proteção individual nos bombeiros, que têm demonstrado “uma tenacidade muito forte para salvar pessoas”, apesar das “tremendas dificuldades”.

O dirigente da LBP adiantou, sem mencionar números, que há associações de bombeiros sem “nenhum rendimento”, em “falência técnica”, e que se veem na “obrigação de despedir bombeiros”.

Perante o cenário traçado, Jaime Marta Soares assinalou, ainda, que se aproxima o mês de maio, em que, além do pico da pandemia esperado para Portugal, começa a época dos incêndios florestais.

É um esforço que vai ser exigido para ultrapassar estas dificuldades“, afirmou, com uma expressão carregada.

Na quinta-feira, a Associação Portuguesa dos Bombeiros Voluntários também se queixou da falta de equipamento de proteção individual (máscaras, luvas…) nas corporações, comprometendo a segurança dos bombeiros e o socorro de doentes com covid-19.

Portugal, em estado de emergência até à próxima quinta-feira, regista 76 mortes e 4.268 infeções, segundo o balanço feito esta sexta-feira pela Direção-Geral da Saúde.

Das pessoas infetadas, 354 estão internadas, 71 das quais em unidades de cuidados intensivos hospitalares, havendo 43 doentes que já recuperaram desde que a Covid-19 foi confirmada no país, em 2 de março.