A Áustria também vai receber doentes franceses infetados com o novo coronavírus e a precisarem de tratamento em unidades de cuidados intensivos, confirmaram esta quarta-feira fontes oficiais dos dois países.

Trata-se do primeiro país sem fronteiras com França que presta este auxílio às autoridades francesas, que já transferiram nos últimos dias doentes com Covid-19 para os países vizinhos Alemanha, Suíça e Luxemburgo.

Segundo indicou esta quarta-feira a Direção-Geral da Saúde francesa, França já transferiu um total de 324 infetados com o novo coronavírus para outras zonas do país menos pressionadas pela pandemia e para outros Estados fronteiriços (Alemanha, Suíça e Luxemburgo).

Pelo menos três doentes que estão hospitalizados em unidades de cuidados intensivos na região administrativa do Grande Leste (no nordeste de França e uma das mais afetadas daquele país) vão ser tratados em território austríaco, segundo as mesmas fontes oficiais de Viena e Paris, que não indicaram a data da transferência dos pacientes. Os doentes franceses vão ficar internados numa unidade de saúde na cidade austríaca de Salzburgo (oeste).

A Áustria, país com 8,8 milhões de habitantes, ultrapassou, na terça-feira, a fasquia dos 10 mil casos confirmados de Covid-19, registando um total de 128 óbitos associados ao novo coronavírus. Já França contabiliza 3.523 mortes, em 52.128 casos positivos de Covid-19.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infetou perto de 866 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 43 mil. Dos casos de infeção, pelo menos 172.500 são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu, com mais de 468 mil infetados e mais de 31.000 mortos, é aquele onde se regista o maior número de casos.