O governo da Malásia foi obrigado a pedir desculpa depois de o Departamento de Desenvolvimento das Mulheres ter publicado alguns conselhos sexistas para ajudar a população a lidar com o isolamento, na sequência do surto do novo coronavírus. As diretrizes incluíam recomendar às mulheres que continuassem a usar maquilhagem e que evitassem “ser chatas”.

A campanha resultou numa onda de indignação online e as publicações foram mesmo eliminadas das redes sociais deste departamento. Um dos principais argumentos contra a ação deste órgão governamental é o facto de não ter tido em conta o risco de aumento da violência doméstica durante o período de confinamento. Em vez disso, este departamento, criado para defender os interesses das mulheres, deciciu focar-se em com o estas devem arranjar-se e comportar-se dentro de casa.

A Malaysian All Women’s Action Society foi das primeiras organizações a manifestar-se a pedir ao departamento que parasse com as mensagens sexistas e que começasse a ajudar as vítimas de violência doméstica. Entretanto, a diretora-geral respondeu, dizendo que o objetivo da campanha era propagar mensagens positivas.

“A abordagem foi usada para partilhar métodos e práticas que mantivessem relacionamentos positivos no seio da família e durante a fase de teletrabalho”, informou em comunicado, onde também se desculpou por alguns dos termos usados na campanha. “Verificámos que tinham sido feitos inúmeros comentários a algumas das dicas promovidas nos posters”, constatou ainda.

Atualmente, a Malásia contabiliza mais de 2.900 casos de infeção pelo novo coronavírus, que já matou 45 pessoas.