A Google divulgou esta sexta-feira um site com relatórios sobre mobilidade no mundo durante a pandemia de Covid-19. A medida tem como propósito ajudar na luta contra o novo coronavírus e mostra dados de 131 países, entre os quais Portugal. Na plataforma, que pode aceder aqui, é possível ver as tendência de movimentos até dois/três dias antes da data de recolha dos dados agregados e anónimos.

De acordo com fonte da Google, este relatório foi feito especificamente para a Covid-19 e os seguintes serão atualizados “de maneira regular”. “À medida que as comunidades globais respondem à pandemia da Covid-19, tem havido uma ênfase crescente nas estratégias de saúde pública, como medidas de distanciamento social, para diminuir a taxa de transmissão”, refere a Google, no seu blogue.

No Google Maps, usamos dados agregados e anónimos, mostrando o quão ocupados certos tipos de lugares estão, ajudando a identificar quando uma empresa local tende a ser a mais movimentada”, acrescenta, salientando que a Google tem ouvido das autoridades de saúde pública que esses dados poderiam ser úteis na medida em que tomam decisões críticas para combater a pandemia.

“A partir de hoje, publicamos uma versão antecipada dos nossos relatórios de mobilidade comunitária Covid-19 para fornecer informações sobre o que mudou” na sequência do teletrabalho, do confinamento domiciliário, de medidas que restringem a circulação, entre outras políticas, destinadas a aplanar a curva da pandemia do novo coronavírus, aponta. Estes relatórios foram desenvolvidos “para serem úteis, ao mesmo tempo que aderem aos nossos rigorosos protocolos e políticas de privacidade”, garante a Google.

“Os relatórios usam dados agregados e anónimos para mapear as tendências de movimento ao longo do tempo por região geográfica”, em diferentes categorias de locais, desde retalho, de diversão, de compras e farmácias, parques, estações de trânsito, locais de trabalho, zonas residenciais, entre outros. “Mostraremos tendências ao longo de várias semanas, com as informações mais recentes representando 48 a 72 horas anteriores. Embora exibamos um aumento ou diminuição” em termos percentuais nas visitas, “não partilharemos o número absoluto de visitas”, assegura a Google.

Vamos divulgar esses relatórios globalmente, cobrindo inicialmente 131 países. Dada a necessidade urgente dessas informações, sempre que possível, também forneceremos informações em nível regional. Nas próximas semanas, trabalharemos para adicionar outros países e regiões para garantir que esses relatórios permaneçam úteis para as autoridades de saúde pública de todo o mundo que procuram proteger as pessoas da disseminação de covid-19″, salientou.

A Google garante que os relatórios de mobilidade comunitária são anónimos e utiliza o que designa por privacidade diferencial, que adiciona sons artificiais aos dados obtidos, permitindo elevada qualidade dos resultados sem identificar nenhuma pessoa.

O que dizem os dados de Portugal?

De acordo com o primeiro relatório relativo a Portugal, a Google mostra uma clara queda no movimento no país entre 26 de fevereiro e 29 de março. A tendência e mobilidade no país para locais como restaurantes, centros comerciais ou bibliotecas caiu 83%, diz a empresa.

Parte do relatório da Google relativo a Portugal

Nalguns países, a empresa mostra dados por região. Em Portugal, não tendo a Google “dados estatísticos significativos por distrito”, como explicou a empresa ao Observador, ficam de fora. Contudo, tendo dados dos principais distritos, é possível constatar uma acentuada queda de movimentos homogénea por todo o território.

As tendências de movimento no distrito do Porto no último mês

Mesmo no caso de farmácias, que continuam abertas com restrições, em todos os distritos a Google afirma ter havido uma descida acentuada de movimentos da população a partir de meio de março. Quanto a deslocações para o trabalho, a Google utiliza estes dados agregados para mostrar que, a título de exemplo, em Lisboa e no Porto, desceram cerca de 55%.

As tendências de movimento no distrito de Lisboa no último mês

O relatório não utiliza números absolutos, optando por mostrar tendências percentuais de movimentos, à semelhança do que a empresa já faz com o Google Trends, plataforma na qual demonstra quais os termos mais procurados no motor de pesquisa por determinada data.

*Artigo atualizado às 10h43 com dados desta plataforma da Google relativamente a Portugal.