O Conselho de Administração da Tranquilidade/Generali aprovou um corte voluntário de 20% nas suas remunerações e decidiu alocar fundos para combate à Covid-19, indica uma nota esta quarta-feira publicada na Intranet dos colaboradores do grupo segurador.

De acordo com a referida nota, a que a Lusa teve acesso, a alocação de fundos específicos provada pelo Conselho de Administração do grupo Tranquilidade/Generali visa apoiar o combate aos efeitos do surto de Covid-19 e a recuperação da economia em Portugal.

Em paralelo foi também decidido aplicar um corte de 20% aos salários dos administradores ao longo do ano de 2020, seguindo o exemplo da decisão tomada recentemente pela gestão de topo do Grupo Generali.

Recentemente, a Assicurazioni Generali SpA aprovou a criação de um Fundo Internacional Extraordinário com 100 milhões de euros destinado a apoiar o combate internacional à Covid-19, devendo ser conhecidas nas próximas semanas algumas das iniciativas que serão lançadas em Portugal.