O novo coronavírus poderá estar a circular em França pelo menos desde meados de dezembro, ou seja, mais de um mês antes do registo oficial do primeiro caso. Um intrigante caso de pneumonia – um homem internado em estado grave a 27 de dezembro num hospital na zona de Paris – poderá ter sido, afinal, um dos primeiros casos de Covid-19 no país. A revelação é feita por um estudo apresentado em França, citado pelo Le Figaro, e cujos detalhes serão divulgados em breve numa revista científica.

Foi dois dias depois do Natal que um homem deu entrada na unidade de cuidados intensivos do hospital Jean Verdier de Bondy. Na altura, esse homem, que não tinha feito qualquer viagem nos meses anteriores e não sabia porque tinha ficado doente, foi tratado como uma pneumonia grave. Foram feitas análises ao sangue que foram, agora, vários meses mais tarde, reanalisadas, em conjunto com as de 23 outros doentes que estiveram naquele e noutro hospital entre dezembro e janeiro.

Nesse trabalho de análise posterior revelou que, entre os 24 casos, um deles deu positivo: o tal homem que foi internado a 27 de dezembro, já em estado grave. O homem já estava doente há quase 15 dias, tendo contagiado os filhos mas não a mulher – ou, em rigor, os filhos tiveram sintomas mas a mulher não. E os médicos que apresentaram este estudo acreditam que, na realidade, terá sido a mulher, assintomática, a transmitir o vírus ao marido.

Essa é uma hipótese que também está apoiada no facto de o homem não ter uma profissão que envolva muito contacto com outras pessoas mas a mulher, sim: trabalha num mercado de peixe e, apesar de apenas vender produtos franceses, trabalhava em proximidade com “pessoas de origem chinesa”, referiu Yves Cohen, diretor da unidade de cuidados intensivos do hospital de Jean Verdier de Bondy. Hoje, toda a família está de boa saúde.

Os médicos fizeram o teste duas vezes, a essa amostra recolhida em finais de dezembro, e nas duas vezes deu positivo ao novo coronavírus. “Este doente tinha Covid-19, no dia 27 de dezembro de 2019”, garante o médico, assinalando que, até agora, os primeiros casos oficialmente testados para Covid-19 surgiram já no final de janeiro, entre os quais duas pessoas que tinham viajado a Wuhan, a cidade chinesa onde o vírus terá surgido.