As autoridades ambientais espanholas estão a procurar no rio Douro um crocodilo do Nilo que parece ter chegado ao troço de 20 quilómetros entre Simancas e Tordesilhas, avança o El País. O Serviço de Proteção da Natureza da Guarda Civil (Seprona) afirma que este é um animal com 250 quilogramas e “muito agressivo”.

Desde sexta-feira que a polícia, os biólogos e a Guarda Civil procuram pelo réptil com recurso a drones e buscas nas margens da parte espanhola do Douro. O animal já foi avistado por três pessoas entre sexta-feira e sábado. Entretanto, também já se encontraram dois ninhos na foz de Pisuerga, muito utilizada por banhistas e pescadores.

As buscas foram retomadas este domingo de manhã e as autoridades espanholas já criaram um perímetro, na região da confluência entre os rios Pisuerga e Douro, no interior do qual ninguém pode entrar. É nessa área que se estima que o animal esteja.

As primeiras pessoas a avistar o crocodilo foram duas crianças de 13 anos, que chamaram as autoridades, afirma o El País. Já no local, a polícia confirmou a presença do réptil e pediu aos pescadores que saíssem da água. Mas nunca lhes disse o motivo para evitar o pânico dos cidadãos.

Além de ninhos, os especialistas já encontraram os restos de peixes cujas marcas de mordeduras coincidem com as provocadas por um crocodilo do Nilo. Toda a área em que decorrem as buscas está circunscrita e está a ser vasculhada por uma equipa de 10 pessoas. Várias armadilhas foram colocadas na água para apanhar o animal.

De acordo com fontes da investigação entrevistadas pelo El País, julga-se que o réptil estaria sob o cuidado de um morador da região que terá libertado o animal quando este ficou demasiado grande. Os municípios da região — San Miguel del Pino, Tordesilhas e Villamarciel — pediram cautela aos moradores.