Lisboa e Vale do Tejo continua a ser o principal foco atual da pandemia em Portugal. Segundo o relatório divulgado esta quinta-feira pela Direção-Geral da Saúde, 91,3% dos novos casos (283) registados nas últimas 24 horas são deste distrito. Ao todo, há agora no país 35.910 casos confirmados de pessoas infetadas no país e 1.504 vítimas mortais.

Nas últimas 24 horas, o município de Lisboa registou 38 novos casos, Sintra 48, Cascais 15, Loures e Amadora 21 em cada um, Oeiras nove e Almada sete.

Grande Lisboa tem surtos ativos em 13 freguesias. Festas dos santos populares estão expressamente proibidas

Em relação ao resto do país, a região Norte registou 19 novos casos, o Centro quatro, o Alentejo três e os Açores um (no Sul e na Madeira não há há registo de novos infetados).

Das sete mortes confirmadas esta quinta-feira, cinco são de Lisboa e Vale do Tejo (as outras duas foram registadas no Norte e Centro). Ao todo, registam-se agora em Portugal 1.504 óbitos ligados à Covid-19. Assim, a taxa de letalidade da pandemia no país é agora de 4,19% (menos 0,02% do que o registado esta quarta-feira).

Duas das vítimas mortais registadas nas últimas 24 horas tinham mais de 60 anos (dois homens). As outras cinco são pessoas com mais de 70 anos.

Portugal ultrapassa os 22 mil recuperados

Desde quarta-feira, Portugal teve 260 recuperados, registando agora 22.002 pessoas que recuperaram da doença. O número de pessoas internadas desceu também em dois, agora são 415, e o números de doentes internados nas Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) manteve-se em 70. Nenhum desses casos mais graves diz respeito a crianças.

90% dos novos casos surgiram em cinco concelhos de Lisboa e Vale do Tejo

De acordo com o boletim da DGS, há ainda 1.562 pessoas a aguardar análise laboratorial, menos 162 do que na véspera, e 30.615 estão sob vigilância das autoridades de saúde, mais 217 do que em relação a esta quarta-feira.

Tosse continua a ser o principal sintoma

De 91% novos casos confirmados esta quinta-feira, a maioria tem a tosse como sintoma (39%). 29% dos infetados sentem febre, 11% têm dificuldades respiratórias, 20% cefaleia, 21% dores musculares e 15% fraqueza generalizada.