Workshop “Preencher Vazios”

Rua de Santo Ildefonso, 85, 2º andar, Porto. Sábado, das 11h às 16h. 91 112 538. 30€ (inscrição)

Para quem quiser intervir nas fachadas: há cinco anos, Joana Abreu criou o “Preencher Vazios”, um projeto que pretende preencher com arte os espaços vazios das fachadas de casas e edifícios, de poemas a letras de canções. Mais do que uma intervenção artística, a jovem de Valongo quer chamar a atenção para a necessidade de preservar o património azulejar nacional. No dia 15 de agosto, o Preencher Vazios terá um workshop no Porto, onde vai ser possível conhecer toda a história da iniciativa, fazer azulejos de madeira e colocá-los nas fachadas onde houver espaços em branco.

Aprenda a “pintar paredes” com estilo no Porto. D.R.

Sandeman Stage

Largo Miguel Bombarda, 3 Vila Nova de Gaia. Sábados e domingos a partir das 18h.

Para quem quer ouvir música com um copo na mão: pandemias à parte, o Sandeman Stage está de volta à esplanada do The House of Sandeman Hostel & Suites aos finais de tarde com concertos, durante todos os fins de semana de agosto e setembro. A nova edição da iniciativa que junta a música ao vinho arranca a 14 de agosto, com apresentação da DJ Klin Klop, que combina influências que variam do jazz groovy ao funk místico, da dançante micro e tech house a um techno profundo, e do afro tropical e etnobeats à electrónica downtempo. No dia seguinte, o DJ Shrumate mostra um set que uma viagem de encontro com a selva e a natureza, que vai do jazz espiritual até à eletrónica mais upbeat. Todos os concertos decorrem a partir de 18h, com uma vista privilegiada sobre rio Douro e têm entrada gratuita. Durante o evento, a Sogrape irá promover sorteios de bilhetes para visitas às caves Sandeman e descontos de 20% em tours. Cruze os dedos e brinde à sorte.

Esta espécie de bar ao ar livre é uma boa alternativa para quem já sente falta de dar um pé de dança. D.R.

Cinema Fora do Sítio

Complexo Desportivo do Monte Aventino, Porto. Sábados, a partir das 22h. Entrada gratuita

Para quem quer ver um filme ao ar livre: Sem a habitual itinerância pelos jardins da cidade, nesta edição, o ciclo Cinema Fora do Sítio, organizado pela Fundação Inatel e a Câmara do Porto, ocupa o court central do Complexo Desportivo do Monte Aventino, de forma a assegurar todas as medidas de prevenção e controlo relacionadas com a pandemia. De modo a serem cumpridas todas as regras ao nível do distanciamento físico, o recinto terá uma lotação máxima de 380 lugares sentados, distribuídos pelo piso de jogo e pelas bancadas do campo de ténis. Os lugares serão ocupados por ordem de chegada, sendo que as portas abrem uma hora antes do início de cada sessão. A programação, que se estende até ao fim de agosto, integra filmes de vários géneros. Esta sexta-feira, chega “Agentes Especiais”, para os mais novos, e sábado, “Ilha da Fantasia”, para os amantes de um bom mistério.

Este programa de cinema ao ar livre dá para toda a família, dos mais pequenos aos mais velhos. ©João Queirós

Marisqueira Deep Blue

Rua dos Bacalhoeiros, 95, Lisboa. Das 19h às 23h (não fecha). 218 863 520. Preço médio entre os 20/30 euros por pessoa.

Para quem gosta de petiscar produtos do mar sem ter de abrir demasiado a carteira: em tempos de dificuldade nada como saborear ainda mais os pequenos prazeres da vida como, por exemplo, uma travessa de camarões cozidos ou uma dose de amêijoas à Bolhão Pato. São iguarias como estas que vai encontrar na mais recente marisqueira de Lisboa, a Deep Blue, que mora na “nova” rua azul da cidade (parece combinado, dado o nome do espaço, mas não passa de uma grande coincidência). Prometendo não comprometer a qualidade, este espaço tenta oferecer preços a baixo de outros icónicos espaços semelhantes das redondezas e na carta tem referências como o expectável arroz de marisco para duas pessoas (28€) ou polvo grelhado com batata doce e bimis (12,90€). Quem quiser aventurar-se em algo mais especial pode sempre optar pela clássica sapateira (25€ o quilo) ou, indo ainda mais além, o lavagante grelhado (78€ o quilo).

O polvo assado com bimis é um dos pratos da Deep Blue. D.R.

Simpli Bakery & Coffee

Avenida Fontes Pereira de Melo, 41, Lisboa. Das 8h às 20h (fecha domingo). 7€ por pessoa (preço médio).

Para quem leva a sério a sua paixão pelo café: já lá vai algum tempo em que pedir um café em Lisboa deixou de ser sinónimo de ir à bica clássica. Nos últimos tempos foram vários os projetos do chamado café de especialidade que foram surgindo e este Simpli é exemplo disso. Nesta casa — que na realidade são “casas”, no plural, já que o projeto tem dois espaços na cidade e planeia abrir em breve mais umas quantas — pode encontrar cafés de todo o mundo, torrados in situ, de origem biológica e comercializados segundo as boas práticas do chamado fairtrade. Seja em modo expresso, cold press (café extraído a frio, noutras palavras) ou chemex, o líquido castanho que nos dá prazer e energia tem nestas casas um autêntico templo apropriado para os mais criteriosos e conhecedores. Todos os baristas são altamente especializados (formados no estrangeiro) e mais que disponíveis para lhe explicar todos os pormenores sobre aquilo que vai beber. Sabia que o copo de água com gás que muitas vezes acompanha o café serve para limpar o palato antes de degustar o néctar energético? É verdade. Este e outro tipo de informações são lhe dados de sorriso na cara sempre que pedir, por exemplo, um café de filtro com algum tipo de pastelaria ou panificação, tudo sempre caseiro. Há pão de fermentação lenta, refeições ligeiras e doçaria de fazer babar. passe por alguma destas casas e experimente por si ou, se assim preferir, leve para casa as cápsulas 100% biodegradáveis desta marca.

Parece daquelas imagens de catálogo mas é a realidade que pode encontrar em qualquer um dos Simpli. D.R.

Casa do Capitão

HUB Criativo do Beato, Rua do Grilo, 119, Lisboa. Inaugura esta quinta-feira. Das 17h às 00h (de quinta a sexta-feira) e das 10h às 00h (sábado e domingo). www.casa-capitao.com

Para quem quer continuar a ir a concertos mesmo que fora de uma sala de espetáculos: a Casa do Capitão é a nova sala de concertos/polo criativo/ bar/restaurante de Lisboa. Fruto de uma parceria do HUB Criativo do Beato com a CTL (os proprietários do Musicbox), esta Casa do Capitão assume-se como uma espécie de pop-up que terá na sua programação de tudo um pouco: de concertos a workshops, passando por eventos para miúdos e um restaurante. Esta casa sem teto — é tudo ao ar livre e em cumprimento com as normas da DGS — é inaugurada já esta quinta-feira. Está programada uma exposição chamada “Esplendor na Relva”, com a curadoria do ilustrador Lord Mantraste e obras de Simão Simões e Maria Goes; um concerto dos Fado Bicha e um set do DJ A Boy Named Sue. O “A Praça” será o restaurante temporário orientado pelo chef Bernardo Agrela (do East Mambo, em Lisboa) e já estão na calha outros eventos como o DJ set de La Flama Blanca  e a sua Siesta Fiesta (14/8, 2€), um concerto de Noiserv (14/8, 10€), uma oficina infantil de corpo, som e movimento dada pelo colectivo Baileia (16/8), um concerto conjunto de Surma e Alex D’Alva Teixeira (16/8, 5€) e até um “afrobaile” cortesia da banda Djumbai Djazz e Wilso Vilares (16/8, 2€). Acompanhe aqui a programação completa, que irá sendo atualizada, e veja mais informações sobre os bilhetes aqui.

Tanto os miúdos como os graúdos vão encontrar nesta Casa do Capitão coisas para ver, fazer ou provar. D.R.

Smart Sightseeing

Praça dos Restauradores, em frente ao Palácio Foz, Lisboa. Todos os dias, das 9h às 24h. 15€ (bilhete de adulto), 9€ (bilhete de criança).

Para quem quer conhecer a partir de um miradouro sobre rodas: Nascido em pleno momento de pandemia, o projeto Smart Sightseeing pretende trocar as voltas à noção corriqueira do passeio em autocarro turístico/panorâmico. O que propõe? Uma viagem de 50 minutos pelas colinas lisboetas e todos os seus bairros e recantos a bordo de um mini-bus de 18 lugares quase todo forrado a janelas que tem ainda uma componente multimédia. Num ecrã visível para toda a gente (e com tradução simultânea para cinco línguas) vão sendo mostrados pequenos vídeos explicativos daquilo que se vai vendo através do vidro, tudo com a simpática personagem “Maria Lisboa” a servir de guia. Este é um projeto que opera tanto de dia como de noite que se precaveu até para os engarrafamentos da cidade: no caso de se deparar com algum tem uma série de outros vídeos sobre a história da cidade e do país para ir mantendo os passageiros entretidos — e informados! Há tours todos os dias e partem sempre da praça dos Restauradores.

Conheça (ou redescubra) Lisboa de uma forma diferente. D.R.

“Nunca mais é sábado” é uma rubrica que reúne as melhores sugestões para aproveitar o fim de semana.