O deputado único do Chega, André Ventura, entregou no parlamento um requerimento para que Ana Mendes Godinho dê explicações a propósito da tragédia ocorrida no lar de Reguengos de Monsaraz, Évora, onde morreram 18 idosos.

“Para além da absoluta incúria e negligência na fiscalização das entidades que deveriam estar na linha da frente na prevenção do contágio e disseminação da covid-19, a governante (…) revelou frieza, desinteresse e uma enorme negligência” e não reúne, assim, quaisquer condições para continuar no exercício do cargo”, lê-se em comunicado do partido.

Entretanto, o PSD também decidiu chamar a ministra do Trabalho e a da Saúde ao parlamento, com caráter de urgência, “para explicarem o sucedido”.

PSD chama ministra da Segurança Social ao Parlamento

Na entrevista, Ana Mendes Godinho admitiu falta de funcionários nos lares, lembrando que há um programa para colmatar essa falha, mas considerou que a dimensão dos surtos de Covid-19 “não é demasiado grande em termos de proporção”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Também este sábado, o presidente do CDS, Francisco Rodrigues dos Santos, acusou a ministra da Solidariedade e Segurança Social de desvalorizar o impacto da pandemia em lares de terceira idade depois de Ana Mendes Godinho ter afirmado que não tinha ligo o relatório da Ordem dos Médicos que apontou para várias falhas e incumprimento de regras na gestão do surto que ocorreu em Reguengos de Monsaraz e que provocou 18 mortos. E defendeu que a “sua continuidade em funções é uma questão de saúde pública” pelo que pede “que se mantenha em férias e dê lugar a outro.”

Surtos em Lares. CDS diz que Portugal tem uma “ministra da Insensibilidade Social” e pede a sua demissão