Foi um final de temporada completamente atípico, será um início de nova época diferente. Depois do cancelamento dos compromissos de seleções a partir de março, incluindo a fase final do Campeonato da Europa, Portugal volta a jogar em 2020/21 antes do regresso do Campeonato (algo extensível às principais ligas, à exceção da França) com dois encontros a contar para a Liga das Nações: Croácia no Dragão a 5 de setembro, Suécia em Solna no dia 8. Até por isso, a convocatória de Fernando Santos era aguardada com especial expetativa, no sentido de perceber até que ponto todas as alterações no calendário poderiam mexer com as habituais dinâmicas da Seleção.

A Seleção, passo a passo, batalha a batalha, a caminho de outra história bonita (a crónica do Luxemburgo-Portugal)

O guarda-redes Rui Silva, o central Domingos Duarte, o médio Sérgio Oliveira e o avançado Trincão foram as grandes surpresas da convocatória, que promoveu também o regresso de Cancelo, Renato Sanches, André Gomes ou Félix. Pizzi, João Mário, Podence e Éder são as ausências mais notadas em relação à última convocatória.

  • Guarda-redes: Anthony Lopes (Lyon), Rui Patrício (Wolverhampton) e Rui Silva (Granada)
  • Defesas: João Cancelo (Manchester City), Nelson Semedo (Barcelona), Domingos Duarte (Granada), José Fonte (Lille), Pepe (FC Porto), Rúben Dias (Benfica), Mário Rui (Nápoles) e Raphael Guerreiro (B. Dortmund)
  • Médios: Danilo Pereira (FC Porto), Rúben Neves (Wolverhampton), André Gomes (Everton), Bruno Fernandes (Manchester United), João Moutinho (Wolverhampton), Renato Sanches (Lille) e Sérgio Oliveira (FC Porto)
  • Avançados: André Silva (Eintracht Frankfurt), Bernardo Silva (Manchester City), Cristiano Ronaldo (Juventus), João Félix (Atl. Madrid), Gonçalo Guedes (Valencia), Diogo Jota (Wolverhampton) e Trincão (Barcelona)

De recordar que, na última concentração para os encontros com Lituânia e Luxemburgo, em novembro, que confirmou a presença na fase final do Europeu, Fernando Santos tinha convocado 25 jogadores, a saber: Beto, José Sá, Rui Patrício; Ricardo Pereira, Nelson Semedo, José Fonte, Pepe, Rúben Dias, Rúben Semedo, Raphael Guerreiro, Mário Rui; Danilo Pereira, Rúben Neves, João Moutinho, João Mário, Pizzi, Bruno Fernandes, Bernardo Silva; Bruma, Podence, Diogo Jota, André Silva, Gonçalo Paciência, Éder e Cristiano Ronaldo.

Um campeão em título que nem “sem sentir os pés” falha um Europeu: é a 7.ª presença consecutiva de Portugal em fases finais

” Para fazer a convocatória contam sempre o estado do jogador, a sua forma, o tempo de jogo. Muitas vezes há jogadores equivalentes mas uns estão a competir e outros não. É apenas um método de escolha, como há outros, quando tens quatro jogadores para duas posições. Quando há quatro com a mesma qualidade há dois para o objetivo, pesam esses fatores. Depois temos esta condicionante, que é um aspeto importante: apesar de habitualmente estarmos muito tempo sem jogadores, apenas com contacto direto de três em três meses, mas em observação permanente, este paragem é um dado novo, em que houve dez meses sem conversa direta, tirando algumas mensagens trocadas. Temos pouca informação e é um caso anormal e isso poderá ter tido o aspeto mais importante para esta convocatória. Para estes dois jogos, e não tendo tempo para treinar, a solução foi optar em 95% por cento da convocatória por aqueles que há mais tempo estão connosco”, explicou Fernando Santos.

“Estes jogos da Liga das Nações são para ganhar, nunca entramos sem este objetivo. Mas, ao mesmo tempo, tenho que aproveitar esta competição para começar a pensar no Campeonato da Europa em 2021. Estivemos muito tempo sem nos encontrarmos, houve jogadores que mudaram de clube e jogam com outros sistemas, tudo isto vai ter que ser pensado estrategicamente para preparar esta equipa para o Europeu, será assim baseada a convocatória nestes três jogos. É natural que nas próximas convocatórias alguma coisa mude, até nos número de jogadores que serão chamados”, acrescentou, a propósito dos dois encontros iniciais da Liga das Nações.

“Ronaldo? Falei com todos. Ele deve sentir-se bem, tenho visto as fotografias, parece-me que está bem, na realidade parece ótimo. Ele adora estar na Seleção e vem seguramente motivado. Olho para todos os outros, alguns estão sem treinar, outros começaram há dois dias. Em termos de motivação, se todos estiverem como o Ronaldo, estarão todos bem”, comentou ainda o selecionador a propósito do capitão.