Mais de 40 comerciantes da zona envolvente à Quinta da Atalaia, na freguesia de Amora, Seixal, vão encerrar os seus estabelecimentos durante a Festa do Avante!, por “precaução” e para “mitigar o risco” de contágio pelo novo coronavírus. A principal promotora do protesto nas redes sociais diz mesmo que “a probabilidade estatística de sermos contaminados é exponencial.”

À Rádio Observadora, Maria Carvalho, do restaurante Rota dos Petiscos Terra e Mar, garantiu que o número de adesões ao protesto por si dinamizado já ultrapassa mais de 40 estabelecimentos nas zonas adjacentes à Quinta da Atalaia contextualizou a decisão de fechar as portas como “uma questão de saúde pública.”

“O concelho de Seixal tem 180 mil habitantes. Pela Festa do Avante e pelas áreas adjacentes vão passar cerca de 100 mil habitantes. A probabilidade de estatística de sermos contaminados é exponencial. Ainda por cima vêm pessoas de todo o país”, afirma.

Comerciantes de Amora. “No mundo do Avante tudo é permitido”

“Se já fechamos durante dois meses e tal, que diferença faz fechar três dias? Prefiro fechar três dias agora, assumindo o risco financeiro, do que fechar três semanas porque pode aparecer alguém infetado.”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Maria Carvalho explica que os comerciantes aderentes são pastelarias, papelarias, oficinas, standes de automóveis, mini-mercados, esteticistas, cabeleireiros, etc. em zonas adjacentes à Quinta da Atalaia. São micro-empresários e empresas familiares que não vivem de subsídios públicos. “Nós sabemos que vamos ter prejuízos ao fechar mas a saúde vale mais”, explicou.

A comerciante diz, a terminar, que “convém dizer que gostamos do Avante, que gostamos das pessoas que vão ao Avante e temos apreço pelo Avante. Mas nesta altura de pandemia e restritiva, não nos podemos colocar em risco nem as pessoas que visitam a Amora”, conclui.

Jerónimo de Sousa garante que PCP fará a Festa do Avante!