O Ateca é uma das armas mais importantes da Seat ou não disputasse ele o segmento mais relevante em termos de vendas do mercado europeu, no que respeita aos SUV, o tipo de veículo com maior procura na Europa. O renovado Ateca é fácil de distinguir do modelo original, uma vez que a frente estreia a nova grelha e faróis, similares aos do Leon e também com piscas dinâmicos, com o novo pára-choques mais envolvente e a protecção inferior numa segunda cor a tornarem mais moderno o aspecto do SUV.

Na traseira também há diferenças, com os farolins LED a revelaram-se mais atraentes tanto acesos como apagados, onde surgem igualmente os piscas dinâmicos. O embelezador inferior traseiro na segunda cor cumpre a sua função, em companhia do pára-choques, dando origem a um SUV que agora está 1,8 cm mais comprido e parece mais desportivo, especialmente quando monta as jantes de 19” e pneus de perfil mais baixo.

Uma vez sentado ao volante, o painel de instrumentos digital com 10,25 polegadas chama desde logo a atenção, desafiando-nos a escolher o grafismo que mais sentido faz a cada momento, com a navegação ao centro quando vamos de viagem e com as estações de rádio quando pretendemos escolher a melhor “companhia” para passar o tempo. Mas o principal motivo de interesse recai no ecrã central, a meio do tablier, que é agora maior (com 9,2”, ou 8,25 nas versões mais acessíveis), mas sobretudo mais legível e prático de utilizar. O comando por voz, que permite controlar o sistema multimédia sem retirar as mãos do volante ou os olhos da estrada, está mais apurado e aceita uma construção frásica natural.

17 fotos

Sempre conectado, com a Seat a ser responsável pelo pagamento da primeira anuidade do cartão SIM, podendo depois o proprietário decidir se continua com o serviço, o sistema de navegação do Ateca pode passar a prestar um conjunto mais alargado de informações. A começar pela localização das bombas de combustível mais próximas, bem como o preço dos combustíveis em cada uma delas.

A construção continua cuidada, tal como os materiais, com o SUV espanhol a digerir os pisos irregulares sem queixumes ou ruídos parasitas. Com as jantes de grande diâmetro e, sobretudo, os pneus de baixo perfil, o novo Ateca agradou-nos numa condução mais desembaraçada, ao ser confortável, mas ágil e divertido de conduzir, deixando-se levar como se tratasse de uma berlina, isto apesar do generoso espaço interior e uma bagageira com 510 litros.

Quem gostava do pequeno motor a gasóleo 1.6 TDI vai ter de apontar um pouco mais alto, em preço e binário, pois o papel do diesel de 115 cv passou a ser ocupado por uma versão do 2.0 TDI, com a mesma potência mas mais força a todos os regimes. Os mais exigentes podem sempre optar por esta mesma unidade motriz mas com 150 cv, que pode até estar acoplada à caixa DSG de dupla embraiagem e à tracção integral 4Drive.

Quem prefira motores a gasolina tem opções que vão dos 115 aos 190 cv. A versão mais acessível fica a cargo do 1.0 TSI, enquanto o motor 1.5 TSI fornece 150 cv e já permite optar pela DSG, para o 2.0 TSI de 190 cv (ainda não disponível) permitir o acesso à DSG e ao 4Drive.

O novo Ateca já está disponível entre nós, com a oferta a gasolina a arrancar nos 30.029€ (com motor 1.0 TSI de 115 cv), para depois o  Ateca FR 1.5 TSI de 150 cv ter preços a partir de 33.447€. Está ainda disponível com este motor o Ateca 1.5 TSI Xperience, com um aspecto mais “todo-o-terreno”(33.432€).

A gasóleo, enquanto não chega a versão 2.0 TDI de 115 cv, o Ateca mais acessível é o Style com caixa manual e 150 cv, proposto por 38.907€. O Ateca Xperience, com a mesma mecânica, é a versão mais sofisticada, sendo comercializada por 40.284€, com a caixa DSG a exigir um investimento adicional próximo dos dois mil euros.