Depois da derrota pesada (e atípica) por 7-2 frente ao Aston Villa e do emocionante empate no dérbi com o rival Everton, o Liverpool regressou aos triunfos em Amesterdão diante do Ajax com um autogolo de Tagliafico mas nem essa entrada positiva na Liga dos Campeões foi suficiente para estabilizar uma equipa que sofreu um duro revés extra resultados com a grave lesão de Van Dijk, a grande referência da defesa dos reds. Também por isso, a vitória na receção ao Sheffield United era fundamental e, num encontro muito complicado, apareceu mesmo com um golo de Diogo Jota na segunda parte. No final, todas as atenções foram centradas no português.

Fact check: o Arsenal tornou-se uma equipa vencedora? Sadio Mané diz que é falso – e Diogo Jota assina por baixo

Depois de uma entrada em falso com uma grande penalidade feita por Fabinho no limite da área (com intervenção do VAR) que foi convertida por Sander Berge (13′), Firmino ainda conseguiu fazer o empate antes do intervalo numa recarga após defesa incompleta de Ramsdale (41′) e o antigo jogador do Wolverhampton marcou o 2-1 final de cabeça, após cruzamento de Sadio Mané da esquerda (64′). Os visitantes nunca tiveram propriamente um grande caudal ofensivo, Salah ainda enviou uma bola ao poste mas o Liverpool, mais uma vez a sentir e muito a falta de Van Dijk para liderar a defesa, conseguiu segurar a vantagem até ao final, regressando aos triunfos na Premier League e subindo à condição ao segundo lugar com os mesmos pontos do Everton.

“Foi um jogo muito difícil para nós. Sabíamos o quão importante era voltarmos aos triunfos na Premier League. Tivemos de partir de trás neste jogo e por isso penso que são três pontos muito importantes para nós. Na segunda parte tínhamos de dar tudo para marcar o segundo. Tivemos oportunidades, vimos um golo ser anulado mas temos de acreditar até ao fim e felizmente conseguimos”, comentou o português, em declarações aos meios do clube.

Como disse quando marquei o meu primeiro golo, gostava que aquelas bancadas estivessem cheias para que fosse ainda mais especial mas penso que o mais importante é que o meu golo selou a vitória e isso deixa-me feliz”, destacou Diogo Jota a propósito do segundo golo em Anfield.

Também Jürgen Klopp mostrou todo o seu contentamento com a exibição do avançado, deixando rasgados elogios ao jogador, à adaptação e à própria pessoa. “O Jota é um bom jogador, trouxe-nos muito e é uma pessoa adorável. Isso torna tudo mais fácil. É forte, bom no jogo aéreo, no relvado. Tem exatamente a qualidade que precisávamos e isso ajuda. Se me surpreendeu? Não sei. Muitas das coisas que ele faz é o que queremos que ele faça. Ele tem 23 anos e o futuro é brilhante para ele. Deixem-me dizer que gosto disso. Estou feliz que ele cá esteja”, comentou o técnico alemão, que já antes tinha deixado palavras de satisfação pela evolução do avançado.