A Câmara de Leiria está a requalificar a avenida Heróis de Angola, a principal avenida comercial da sede de concelho, num investimento de 300 mil euros para a tornar numa via de cultura urbana, foi esta terça-feira anunciado.

Numa nota de imprensa, o município explica que o objetivo é tornar esta uma “avenida Cultura Urbana, um conceito que visa a criação de uma imagem mais positiva e atrativa, e adaptada à realidade da pandemia da Covid-19”.

Com final previsto para 20 de novembro, a intervenção prevê, por exemplo, o alargamento de passeios, a pavimentação e a pintura de uma ciclovia, que irá fazer parte da pista a criar entre o hospital de Santo André e o estádio municipal. Instalação de floreiras e plantação de árvores na avenida e largo Comendador José Lúcio da Silva, “bancos e mobiliário urbano mais atrativo, um sanitário público, parqueamento de bicicletas” ou esplanadas estão também entre as ações previstas.

“Os condutores terão mais espaço e mais lugares para estacionar (de 72 aumenta para 76), uma vez que serão reduzidas as zonas para cargas e descargas (passam de 15 para seis), e serão mantidos os lugares para condutores com mobilidade reduzida (4), para motas (8) e para carregamento de veículos elétricos (4)”, adianta a nota.

Para a câmara, um dos grandes objetivos do investimento é “melhorar a qualidade ambiental da avenida”, através da redução das emissões de carbono e do ruído, “dando maior conforto e qualidade de vida a moradores, comerciantes e visitantes”. A autarquia avisa que os trabalhos na avenida, onde está instalado o terminal rodoviário, irão criar alguns constrangimentos e cortes de trânsito, assim como condicionamentos no estacionamento, mas está garantido “o acesso à rede de transportes públicos de passageiros, táxis, veículos de emergência e comércio local”.

Este investimento integra o Programa Renovar Leiria, anunciado em junho e que tem um conjunto de 19 ações para adequar a cidade às novas exigências de utilização do espaço público impostas pela pandemia.

À agência Lusa, o presidente da Câmara de Leiria, Gonçalo Lopes, afirmou que a intervenção na avenida Heróis de Angola “está a ser feita no seguimento do que se designa de urbanismo tático, que se tornou extremamente atual no contexto pandémico da Covid-19, e em curso em várias cidades europeias”.

Pretende-se, “através de intervenções rápidas, eficazes e económicas, privilegiar o espaço público e um sistema de mobilidade amiga do ambiente”, a favor do peão e da bicicleta em detrimento do automóvel, adiantou.

Notando que a avenida Heróis de Angola é a “principal avenida comercial de Leiria e foco da atividade comercial e de mobilidade da cidade”, Gonçalo Lopes acredita que esta via vai “tornar-se mais atrativa para servir de âncora para eventos culturais, mas também do ponto de vista comercial”.