Depois do Polestar 1, o construtor sino-sueco da Volvo – que também é pertença da chinesa Geely – lançou o Polestar 2 e se o primeiro era um híbrido plug-in, o segundo é 100% eléctrico. Contudo, este modelo, que foi anunciado como um concorrente directo do Model 3 da Tesla, entrou na Europa com o pé esquerdo.

A primeira dificuldade que o construtor teve de enfrentar foi uma avaria generalizada no 2, que o levava a parar intempestivamente, sem razão aparente e sem qualquer tipo de pré-aviso. Isto levou a Polestar a ter de realizar um recall geral a todos os 2 já entregues a clientes, para resolver o que disse ser uma questão de software.

Polestar 2. Rival do Tesla Model 3 pára repentinamente

Ainda não refeita desta contrariedade inicial, a Polestar teve de enfrentar a Citroën – e supomos que as queixas da DS não tardarão, pelo mesmo motivo –, que está convencida que o logótipo da Polestar é demasiado próximo do Double Chevron da Citroën. A queixa apresentada por esta marca francesa do Grupo PSA teve consequências quase imediatas, que consistiram na suspensão das operações, o que é possível confirmar através de uma visita ao site francês da Polestar, que deixou de estar disponível, como se pode ver em baixo:

Para a PSA, as semelhanças entre o logo da Polestar não se limitam apenas à Citroën, uma vez que também a DS está demasiado próxima da “estrela polar” da Polestar. Enquanto os argumentos de ambos os lados não se digladiam em tribunal, este determinou que as vendas fossem suspensas, por um período de seis meses.

Esta não é a primeira vez que dois construtores se desentendem, desde o tempo em que a Audi não apreciou o Quadra, o sistema 4×4 da Renault, que considerou ser demasiado próximo do seu Quattro, ou quando a Peugeot impediu a Porsche de denominar o seu 911 como 901, como era o seu desejo, uma vez que todas as combinações com três algarismos, com o “0” ao centro, lhe pertenciam.

É quase impossível não ver nesta batalha entre a PSA e a Polestar um confronto entre duas empresas chinesas, uma vez que a Dongfeng Motors detém 13,68% da PSA, estando em igualdade de condições com o Estado francês e a família Peugeot. Do outro lado, a Polestar está integrada na Volvo, pertença da Geely, propriedade de Li Shufu.