A biblioteca itinerante de Proença-a-Nova, no distrito de Castelo Branco, voltou esta segunda-feira à estrada, após uma interrupção do serviço no início de setembro.

Em comunicado enviado à agência Lusa, o município de Proença-a-Nova afirma que a Bibliomóvel regressa para cumprir as duas rotas semanais do seu percurso iniciado há 14 anos, abrangendo 31 localidades do concelho

António Sequeira, funcionário do município de Proença-a-Nova assume, de forma temporária e com as condicionantes impostas pela Direção-Geral de Saúde (DGS), devido à pandemia de Covid-19, a continuidade do trabalho iniciado em 2006, pelo bibliotecário Nuno Marçal.

Depois da paragem forçada devido ao estado de emergência, declarado na sequência da pandemia, o serviço público e social prestado pela Bibliomóvel voltou à estrada, mas foi novamente interrompido no início de setembro, sendo reposto esta segunda-feira.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Para além da promoção da leitura e do posto avançado dos serviços do município [de Proença-a-Nova], a Bibliomóvel encurta a distância entre os cidadãos e as instituições públicas, assente em três pilares: utilidade, proximidade e afetividade”, lê-se na nota.

As rotas e os horários da biblioteca itinerante podem ser consultados em www.biblioteca.cm-proencanova.pt.

Os serviços disponibilizados vão desde o serviço de referência bibliográfica, empréstimo domiciliário (livros, revistas, cd e dvd), fotocópias, posto móvel do município, wireless e pagamentos de faturas com referência multibanco.

O projeto resultou de uma parceria entre a Câmara de Proença-a-Nova e a Santa Casa de Misericórdia de Sobreira Formosa, no âmbito do Progride, programa vocacionado para o combate à pobreza e exclusão social, referenciado no Plano Nacional de Ação para a Inclusão 2003-2005.

“Desde então, a Bibliomóvel, os seus recursos humanos, bibliográficos e sentimentais foram-se entranhando na paisagem e no quotidiano dos seus utilizadores, visitantes e amigos, apostando e baseando os seus serviços em valores como a proximidade e a periodicidade”, refere a autarquia.