Diego Maradona morreu esta quarta-feira aos 60 anos, vítima de uma paragem cardiorrespiratória, mas a história que escreveu no mundo do futebol está bem viva, com imagens estáticas e em vídeo de uma série de lances impressionantes — segundo a FIFA, marcou mesmo o golo do século XX. Seja ao serviço da Argentina (seleção pela qual venceu o Mundial de 1986), do Napóles ou do Barcelona, Maradona mostrou sempre o seu astronómico talento.

Nesta lista, o Observador reuniu dez dos melhores golos do argentino.

A “Mão de Deus”. O golo do século pela FIFA no jogo que opôs a Argentina a Inglaterra. A seleção argentina empatava com Inglaterra 0-0 e era necessário resolver o jogo. Assim, numa jogada brilhante, Maradona arranca pela direita  desde o meio-campo, ultrapassa os defesas ingleses, chega à grande área e marca. Terá havido um toque com a mão, o que invalidaria o golo, mas os árbitros não conseguiram ter a certeza se tal aconteceu e, por isso, validaram o golo. A Argentina acabou por vencer 2×1 a seleção europeia e carimbar o passaporte para as semi-finais do Mundial 1986 — que viria a vencer.

Outros golos no Mundial 1986. No jogo frente à Bélgica, Maradona marcou dois golos. E cada um mais incrível que o outro. A Argentina acabaria por vencer a seleção belga por 2×0 e prosseguir, assim, para a final do campeonato do mundo.

Não só no Mundial 1986 Maradona impressionou — oito anos depois também deixou a sua marca. Frente à Grécia, num jogo da fase de grupo do Mundial 1994, aos 60 minutos, o argentino volta a destacar-se com esta jogada.

E não foi só ao serviço da Argentina, a sua seleção, que Maradona deixou os adeptos em êxtase. No Napóles, clube italiano onde jogou sete anos e marcou 81 golos, o argentino desenhou jogadas e fez golos que nunca mais ninguém vai esquecer. Um deles foi este, frente ao Verona em 1985 (onde o Napóles venceu 5×0) — em que, do meio campo, Maradona faz magia.

Noutro jogo, em que o Napóles enfrentou a Lazio a contar para a Serie A, Maradona fez um hat-trick. Mas talvez o terceiro e último golo tenha sido o mais especial — um chapéu ao guarda-redes.

Outra grande finalização aconteceu num jogo frente ao AC Milan, em 1987. Maradona recebe um passe, toca a bola com a perna, foge dos defesas e marca um golaço.

Noutro jogo com o AC Milan, desta vez em 1988, Maradona recebeu a bola praticamente do meio campo, ultrapassou o defesa e o guarda-redes e, no final, fez um brilharete.

Também os pontapés livre ficarão para a história. Neste jogo, na Serie A de 1984/1985, frente a Juventus, o argentino impressionou com uma jogada que terminou com um tiro indefensável.

Como não podia deixar de ser, ao serviço do Barcelona, Maradona foi igualmente protagonista de lances brilhantes. Neste aqui, frente ao Estrela Vermelha na Liga dos Campeões, conseguiu receber uma bola praticamente do meio campo e fazer um chapéu à entrada na grande área.